Escolha uma Página

Com outro show de bola, que a credencia como um das melhores seleções do mundo, a Itália voltou ao Estádio Olímpico de Roma e se impôs de forma categórica à Suíça por 3 x 0, na noite de ontem (16), repetindo o placar em que também foi superior à Turquia, na estreia de sexta-feira (11). Primeira a se classificar com antecedência para a fase final, a Itália só precisa do empate no jogo com o País de Gales, domingo (20), para confirmar o primeiro lugar no Grupo A.

10 CONSECUTIVAS – A seleção italiana do técnico Roberto Mancini, de 56 anos, maior artilheiro da Sampdoria, com 173 gols, completou 10 vitórias consecutivas, cinco em casa, e 29 jogos sem perder. A última derrota foi em 10 de setembro de 2018 para Portugal por 1 x 0, gol de André Silva, no estádio da Luz, em Lisboa, em jogo da Liga das Nações. Com 3 x 0 de ontem (16), a Itália acabou com a invencibilidade de oito jogos da Suíça, que estreou empatando (1 x 1) com Gales.

REPETIR 1968 – A Itália tem como grande objetivo repetir a campanha de 1968, quando ganhou pela única vez a Eurocopa, em final emocionante com a então Iugoslávia, hoje Sérvia. 1 x 1 no primeiro jogo, com prorrogação, e 2 x 0 no desempate, no Estádio Olímpico de Roma, com os gols de Gigi Riva e Pietro Anastasi. A seleção era dirigida por Ferruccio Valcareggi e liderada pelo lateral-esquerdo Giacinto Facchetti, que também foi o capitão na Copa do Mundo de 1970.

DESTAQUE – Nos 3 x 0 na Suíça, o destaque foi Manuel Locatelli, atacante de 23 anos, 1,86m, revelado na base do Milan em 2009 e de onde saiu em 2016, após ganhar a Supercopa da Itália, emprestado ao Sassuolo, que o comprou em 2019. Locatelli marcou aos 26 do primeiro tempo, e de fora da área, aos 7 do segundo tempo. Ele está em ascensão na seleção principal desde 2020, depois de escalar os degraus de todas seleções sub, dos 15 aos 21 anos.

CHUTEIRA DE OURO – Chuteira de Ouro da Europa, artilheiro do Campeonato Italiano 2019-2020, com 36 gols, Ciro Immobile, de 31 anos, 1,85m, um dos destaques da Lazio de Roma, foi o autor do terceiro gol dos 3 x 0 na Suíça, aos 44. Na linha de orientação do técnico Roberto Mancini, que exige muito nos treinos, os dois últimos gols de ontem (16) foram de fora da área, com Locatelli e Immobile caprichando na pontaria e na força do chute de meia distância.

DONNARUMMA, Di Lorenzo, Bonucci, Chiellini (Acerbi) e Spinazzola; Barella (Cristante), Jorginho e Manuel Locatelli (Matteo Pessina); Berardi (Rafael Toloi), Insigne (Federico Chiesa) e Ciro Immobile – a seleção que pode poupar Chiellini do jogo de domingo (20) com Gales, devido ao desconforto muscular que sentiu logo no início, após ter um gol anulado por impedimento. Substituído por Francesco Acerbi, da Lazio, Guirgio Chiellini, capitão da Juventus, está em observação.

85% DE PRECISÃO – Dos 972 passes do jogo, 451 foram feitos com 85% de precisão pela seleção italiana, que deu quase o triplo de chutes na direção do gol, enquanto a Suíça não chegou a exigir muito de Donnarumma. De saída do Milan, onde começou aos 16 anos, o goleiro de 22 anos, 1,96m, será o mais bem pago do mundo, com 12 milhões de euros (R$75 milhões) no PSG (R$75 milhões), superando os 10 milhões de euros/ano, do Manchester United ao espanhol  David de Gea.

SERGIO RAMOS SAI DO REAL MADRID – Sem acordo para renovar contrato desde janeiro, o zagueiro Sergio Ramos, de 36 anos, deixou ontem (16) o Real Madrid, que o comprou do Sevilha por 30 milhões de euros, transação mais cara de um jogador de defesa em 2005. Capitão do time, Sergio Ramos disputou 671 jogos, marcou 101 gols e ganhou 22 títulos, destacando-se cinco Campeonatos Espanhóis, quatro Mundiais de clubes e quatro Ligas de Campeões da Europa.

IGUAL A MESSI – Sergio Ramos divide com Messi o recorde de único jogador de defesa a marcar gol em quinze temporadas consecutivas no Campeonato Espanhol, e de ter ganhado cinco vezes o prêmio de melhor jogador de defesa. Ele divide com Messi o recorde de mais participações em Real Madrid x Barcelona. O recorde negativo de Sergio Ramos é o de jogador com mais cartões amarelos e expulsões do Real Madrid e do Campeonato Espanhol.

OUTRO RECORDE – Sergio Ramos é o que mais jogou pela seleção da Espanha: 179 vezes, superando o recorde do goleiro Iker Casillas, seu companheiro no Real Madrid, que fez 167 jogos e foi o capitão única seleção campeã do mundo,  em 2010, na África do Sul. Sergio Ramos também foi titular da única seleção que ganhou duas Eurocopas consecutivas, em 2008 e 2012. Ele deverá disputar 2021-2022 por outro grande clube, inglês ou italiano.