Líder isolado e único invicto do Brasileirão 2019, o Palmeiras – campeão brasileiro de 2018 – depende de apenas mais seis vitórias para se tornar o segundo em jogos sem derrota e depois de mais sete para superar o recorde de 41 anos do Botafogo e ser o líder de jogos invictos na história do maior campeonato de clubes do Brasil. Com os 2 x 1 sobre a Chapecoense, o Palmeiras chegou aos 30 jogos, com 23 vitórias e 7 empates, de 29 de julho de 2018 a 2 de junho de 2019.

O recorde do Botafogo é de 42 jogos de invencibilidade, com 25 vitórias e 17 empates, de 16 de outubro de 1977 a 16 de julho de 1978, quando terminou em quinto lugar no Campeonato Brasileiro. Depois do Botafogo, a segunda marca de invencibilidade é do Santa Cruz, do Recife, com 35 jogos – 22 vitórias e 13 empates -, de 7 de dezembro de 1977 a 23 de julho de 1978. O Palmeiras superou em 2019 sua própria marca de 26 jogos – 18 vitórias e 8 empates, de 13/12/72 a 18/11/73.

PONTOS CORRIDOS – Desde que foi implantada em 2003 a disputa do Campeonato Brasileiro por pontos corridos, a marca de 2019 do Palmeiras – 23 vitórias e 7 empates -, de 29/7/2018 a 2/6/2019, representa o recorde. O Corinthians chegou a estabelecer dois recordes – 14 vitórias e 5 empates -, duas vezes: de 17/10/2010 a 20/7/2011 e depois de 13/5/2017 a 5/8/2017. 
Nos pontos corridos, a maior série invicta dos cariocas foi a do Flamengo, que ficou em nono lugar – 9 vitórias e 7 empates -, de 21/5/2011 a 14/8/2011 -, seguido do Fluminense, décimo colocado – 10 vitórias e 5 empates -, 26/5/2010 a 1/9/2010.

FALTA UM JOGO – A sétima rodada do Brasileirão 2019 ficou sem Corinthians x Goiás, a ter data remarcada, de vez que o tricampeão paulista jogará amanhã, terça (4), com o Flamengo, decidindo no Maracanã a vaga das quartas de final da Copa do Brasil. O Flamengo, pelo empate; o Corinthians, por dois gols para se classificar direto, ou por um gol para decidir em pênaltis.

69 JOGOS, 168 GOLS – Nos nove jogos da sétima rodada foram marcados 19 gols (9 no primeiro tempo). Em 69 jogos168 gols (74 no primeiro tempo), média de 2.43 gols por jogo. Mandantes – 40 vitórias. Visitantes – 16 vitórias. Empates – 13. 1 x 0, em 17 jogos. 2 x 1, em 16 jogos. 1 x 1 e 2 x 0, em 7 jogos.Em 69 jogos, apenas cinco 0 x 0. Só 25 jogos terminaram 0 x 0 no primeiro tempo.

SETE VIRADAS – Só o Flamengo conseguiu duas viradas: 3 x 1 no Cruzeiro, no jogo de estreia, e 3 x 2 no Atlético Paranaense, na sexta rodada. As outras vitórias de virada, pela ordem: Bahia 3 x 2 Corinthians, Ceará 1 x 2 Atlético Mineiro, Grêmio 4 x 5 Fluminense, Chapecoense 1 x 3 Fortaleza, Avaí 1 x 2 Ceará. TRÊS DE 1 x 0 – Dos dezessete jogos que terminaram 1 x 0, três foram ganhos pelo Botafogo, o que mais venceu por esse placar: 1 x 0 no Fortaleza, 1 x 0 noFluminense e ontem (primeiro domingo de junho), 1 x 0 no Vasco. Goiás, Corinthians, Palmeiras e Bahia ganharam dois jogos por 1 x 0.

CINCO 0 x 0 – Além do empate entre si, Santos e CSA foram os que mais empataram sem gol (duas vezes): o Santos com o Internacional e o CSA com o Avaí. Os outros 0 x 0 foram Corinthians x Grêmio e São Paulo x Bahia.

ATAQUE E DEFESA – Sem incluir o jogo em que ganhou (1 x 0) do Botafogo, porque está subjudice, o Palmeiras tem o ataque mais positivo (14 gols em seis jogos). O Flamengo marcou 13 gols em sete jogos, e o terceiro ataque é o do Atlético Mineiro, com 12 gols em sete jogos. O Palmeiras tem também a defesa menos vazada (2 gols em seis jogos). As do São Paulo e Corinthians, sofreram 4 gols em 7 jogos. As do Botafogo e Internacional sofreram 5 gols em 7 jogos.

FLUMINENSE tem a defesa mais vazada do Brasileirão 2019: sofreu 15 gols em 7 jogos; a do Cruzeiro, 14; a do Vasco, 13, e as do  Grêmio , FortalezaCSA sofreram 11 gols.

TRÊS ARTILHEIROS – Everaldo, da Chapecoense, divide a artilharia do Brasileirão 2019, após sete jogos, com Gabriel e Bruno Henrique, do Flamengo, com 4 gols. Entre os catorze com três gols, há três duplas do mesmo time: Ricardo Bueno e Tiago Galhardo, do Ceará; Rony e Marcelo Cirino, do Atlético Paranaense, e Pedro e João Pedro, do Fluminense. Os outros oito: Guerrero (Inter), Everton (Grêmio), Tiago Neves (Cruzeiro), Sasha (Santos), Arthur(Bahia), Chará (Atlético Mineiro), Pedrinho (Corinthians) e Bruno Henrique (Palmeiras).

JULGAMENTO – Na próxima sexta (7) o Superior Tribunal de Justiça Desportiva decide sobre o recurso do Botafogo para anular o jogo que perdeu (1 x 0) para o Palmeiras. Se o resultado for mantido, o Palmeiras passará de 16 para 19 pontos. Se não, Botafogo e Palmeiras disputarão outro jogo, hipótese que os do meio jurídico pensam ser (quase) improvável.