Tiago Nunes, gaúcho de 40 anos, é mais um da lista de onze demitidos pelo Corinthians, depois de derrota para o Palmeiras, como a história nos conta que aconteceu, pela primeira vez, no domingo, 8 de abril de 1951, quando o Palmeiras, com grande atuação do meia Jair Rosa Pinto, vice-campeão do mundo em 1950, ganhou o Torneio Rio São Paulo, no estádio do Pacaembu, vencendo (3 x 2) o Corinthians na grande final. O técnico Nilton Serra, de quem pouco se ouviu falar, foi demitido no vestiário.

MAIS DE UM MILHÃO – Terceiro dos cinco paulistas do Campeonato Brasileiro de 2020 a demitir o técnico, o Corinthians terá que pagar R$1.200 mil a Tiago Nunes, dispensado ontem (11), um dia depois da derrota (2 x 0) para o Palmeiras, porque, segundo o presidente Andrés Sanchez, de 56 anos, “as pressões se tornaram insuportáveis”. O treinador ganhava R$400 mil e o clube teria que indenizá-lo em três meses de salário, caso o demitisse antes de dezembro, quando terminaria o contrato.

MAIS RECENTE – Antes de Tiago Nunes, o último técnico que o Corinthians havia demitido, após derrota para o Palmeiras, foi o ex-meia baiano Cristóvão Borges, de 61 anos, que jogou no clube em 86-87 – 13 gols em 58 jogos – e dirigiu o time em 18 jogos em 2016. Depois de sete vitórias e cinco empates, Cristóvão foi demitido após a sexta derrota – 2 x 0, gols de Moisés e Mina, para o Palmeiras, quebrando a invencibilidade de 34 jogos na Arena Corinthians –, na rodada 26 do Brasileirão, no sábado, 17 de setembro de 2016, diante de 40.173 pagantes.

TIAGO NUNES deixou o time em décimo terceiro, com 9 pontos em 8 jogos  2 vitórias, 3 derrotas, 3 empates, saldo negativo de um gol (11 a 12) -, e Dyego Coelho, paulistano de 37 anos, ex-lateral do clube e atual técnico do sub-20, assume como interino amanhã (13), no Maracanã, podendo subir de duas posições. Com 9 pontos, o Corinthians pode ultrapassar, precisando só empatar com o Fluminense, Ceará e Sport, com 9, desde que não ganhem de Flamengo e Palmeiras, também amanhã (13).

SEM QUATRO – O técnico interino Dyego Coelho não conta amanhã (13), no Maracanã, com o lateral Fagner e o zagueiro Avelar, suspensos pela expulsão no jogo com o Palmeiras, e também ainda não terá a volta do meia Luan, ex-Grêmio, com lesão na coxa, e do atacante argentino Mauro Boselli, que torceu o tornozelo. O time terá Cassio, Michel, Bruno Mendez, Gil e Lucas Piton; Gabriel, Cantillo, Araos e Ramires; Otero e Jô.

MAU VISITANTE – O Corinthians só venceu em seu estádio – 3 x 1 no Coritiba e 2 x 1 no Goiás -, onde empatou com o Fortaleza (1 x 1) e com o Botafogo (2 x 2), e perdeu o último jogo (2 x 0 para o Palmeiras). Como visitante, o vice-campeão paulista levou a virada do Atlético Mineiro (3 x 2), ficou no 0 x 0 com o Grêmio e perdeu para o São Paulo (2 x 1), no Morumbi. O clima é tenso entre os torcedores, que pressionaram pela saída do técnico Tiago Nunes, e continuam cobrando do presidente Andrés Sanchez.

ESTREANTE – No jogo dos vice-campeões carioca e paulista, o Fluminense deve promover a estreia do lateral-esquerdo mineiro Danilo Barcelos, de 29 anos, ex-Vasco e Botafogo. Diagnosticado com a Covid-19, Fred continua em tratamento, e o técnico Odair Hellmann, de 43 anos, comandará o time amanhã (13), no Maracanã, em seu trigésimo segundo jogo, com Muriel, Calegari, Digão, Lucas Claro e Danilo Barcelos; Yuri Lima, Dodi e Nenê; Michel Araújo, Wellington Silva e Marcos Paulo. 

Foto: Preto no Branco