Escolha uma Página

COM TRÊS GOLS EM 15 MINUTOS, O PALMEIRAS deu um chocolate de 4 x 0 no Santos e ganhou pela primeira vez a Copa São Paulo, maior torneio de juniores do futebol brasileiro, na bela manhã de sol desta 3ª feira (25), dia do aniversário de 468 anos da capital paulista, em seu Allianz Parque. Com todos os méritos de um grande campeão, o Palmeiras igualou o placar da final de 1991, quando a Portuguesa goleou o Grêmio por 4 x 0, na conquista do seu primeiro título da Copinha.

O PALMEIRAS SAIU DA FILA DE 19 ANOS, depois de perder as decisões de 1970 para o Corinthians por 4 x 2 e de 2003 para o Santo André por 5 x 3, nos pênaltis, para ser campeão pela primeira vez, na 23ª final entre paulistas, que só não estiveram em cinco decisões.  O atacante Endrick, de 15 anos, foi o destaque e artilheiro do time com seis gols, um deles de bicicleta, que lhe valeu o prêmio Dener de gol mais bonito da 52ª Copa São Paulo disputada desde 1969.

BOM LEMBRAR – O paulistano Dener, morto em abril de 94, em desastre de carro no Rio, 17 dias após completar 23 anos, quando estava emprestado ao Vasco, foi o último grande jogador revelado pela Portuguesa. Ele marcou o primeiro gol dos 4 x 0 no Grêmio, na final da Copa São Paulo de 91. Emprestado, ele foi campeão gaúcho em 93 no Grêmio e ganhou o último título no Vasco, a Taça Guanabara de 94.

OBSERVADORES DO REAL MADRID, Barcelona, Manchester City e do francês Rennes assistiram e saíram outra vez impressionados com a exibição de Endrick, que abriu o placar aos 5 minutos, de canhota, completando cruzamento rasteiro do lateral Vanderlan. O 2º gol, também de pé esquerdo, foi do meia Giovani, da entrada da área, aos 11, no ângulo, e o 3º gol, aos 15, do capitão Gabriel Silva encobrindo a barreira em linda cobrança de falta.

O PALMEIRAS AMPLIOU O DOMÍNIO no 2º tempo, depois que o Santos saiu para o intervalo com 10, pela expulsão do zagueiro Dereck, aos 46, após outra falta dura, que lhe valeu o 2º amarelo seguido do vermelho. Gabriel Silva fez o 4º gol aos 9 minutos, completando de cabeça o cruzamento do lateral Vanderlan. Aos 27 o Palmeiras quase marcou o 5º, com a cabeçada de João Pedro na trave, e aos 29 teve gol de Gabriel Silva bem anulado por impedimento.

OS CAMPEÕES – Matheus, Garcia, Naves, Freitas e Vanderlan (Ian); Pedro Bicalho (Pedro Lima), Fabinho, Giovani (Vitinho) e Gabriel Silva (Lucas Sena); Jhonatan (Kevin) e Endrick (João Pedro) – o Palmeiras, do técnico Paulo Victor Gomes, medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de 2020. Bom dizer: em 2021, já campeão brasileiro, o Palmeiras escalou no jogo com o Ceará, 11 dos jovens sub-20 que ganharam hoje (25) a Copa São Paulo.

A CAMPANHA – O Palmeiras conseguiu 9 vitórias e 1 empate na campanha vitoriosa da Copinha 2022, com saldo de 24 gols (29 a 5). Um dos elogios partiu do ex-lateral Cafu, que esteve no pódio da premiação: “Não são só dois ou três, não, há outros que podem em breve estar na equipe principal”. Recordista de jogos (149) da seleção, Cafu foi campeão do mundo em 94 e 2002, e campeão paulista no Palmeiras em 96, ano em que o time marcou 102 gols.

LEILA PEREIRA, nascida em Cabo Frio, primeira mulher presidente do Palmeiras, desceu ao gramado após o jogo, e a convite da Federação Paulista, subiu ao pódio e colocou as medalhas nos campeões. Discreta e elegante, de tênis ntanco, jeans e a camisa branca do clube, ela entregou a taça ao meia Gabriel Silva, capitão do time, mas não apareceu nas fotos. Criada no Rio, Leila é de família vascaína, mas se tornou palmeirense após se apaixonar pelo marido.

OS CLUBES PAULISTAS são os maiores vencedores da Copa São Paulo, com mais do triplo de títulos do que os cariocas (31 a 10). Minas e Rio Grande do Sul foram cinco vezes campeões. Só três do Rio ganharam a Copa São Paulo: o Fluminense, 5 vezes; o Vasco, só uma vez, e o Flamengo, 4 vezes campeão, é o único que venceu todas as decisões. Desde 1969, só não houve Copinha em 1987, por desinteresse do prefeito Janio Quadros, e em 2021, devido à pandemia.

SHOW DE ORGANIZAÇÃO – A Federação Paulista de Futebol voltou a dar um show de organização na festa de encerramento da 52ª Copinha. Tudo funcionou bem no moderno e belo Allianz Parque, onde os jogadores do Palmeiras, bicampeões da Libertadores, que se preparam para o Mundial de clubes nos Emirados Árabes Unidos, em fevereiro, prestigiaram a equipe sub-21. Só a metade do estádio foi liberada: R$735.620,00. 20.814 pagantes.

BOA ARBITRAGEM – Gustavo Holanda Souza, paulista de 23 anos, atuou pelo segundo ano na Copinha. Firme nas decisões, aplicou cinco cartões amarelos e um vermelho, todos em jogadores do Santos. Correto na expulsão do zagueiro Derick, por falta dura no meia Giovani, após o segundo cartão amarelo. Os assistentes Gustavo Rodrigues e Isabele Oliveira, que anulou um gol de Gabriel Silva, por impedimento, completaram bem a arbitragem.

VIDA LONGA AO REI. Acima do número da camisa do Santos, a mensagem a Pelé, recém-saído da segunda internação hospitalar, que vem reagindo bem aos problemas de saúde. Um apoio que com certeza fará muito bem ao maior jogador da história do clube e do futebol mundial.

Fotos: Facebook do Palmeiras | Foto: Marcos Ribolli |