O Internacional devolveu ao Palmeiras o 1 x 0 da derrota no jogo de ida em São Paulo e quebrou a série de 17 jogos sem derrota do líder e único invicto do Brasileirão 2019, ao eliminá-lo da Copa do Brasil – 5 x 4 nos pênaltis -, na noite de ontem (17), na Arena Beira Rio, em Porto Alegre. O gol foi do meia Patrick aos 40 do primeiro tempo. R$2.306.661,00. 38.836 pagantes. 

A primeira vez que o Internacional chegou à semifinal foi em 1999 e só voltou 17 anos depois, 2016. A única vez que ganhou a Copa do Brasil foi em 1992, ao vencer (1 x 0) o Fluminense, na decisão em Porto Alegre, com o gol de pênalti do zagueiro Célio Silva, ex-Vasco. Foi uma final entre dois técnicos cariocas: Antonio Lopes, do Internacional, e Sergio Cosme.

EXPULSÃO E GOL ANULADO – Os mais de 40 mil torcedores ficaram revoltados com a anulação do gol do zagueiro argentino Victor Cuesta, do Internacional, faltando dois minutos para o fim dos acréscimos. O meia Andrés d’Alessandro, também argentino, fez a jogada para o compatriota completar de cabeça, o que evitaria a decisão nos pênaltis, mas Rafael Traci, da Federação Catarinense, marcou falta do apoiador Rodrigo Moledo em Felipe Melo, que foi deslocado.

IRRITADO, a ponto de perder a calma, D’Alessandro seguiu o árbitro, que caminhava na direção do VAR, a fim de rever a jogada e confirmar ou não o gol, e não parava de reclamar. O árbitro mostrou-lhe o segundo amarelo e o cartão vermelho, que o tira do Grenal de depois de amanhã (20) pela décima primeira rodada do Brasileirão, por ser uma competição também promovida pela CBF. Os policiais militares tiveram que fazer cordão de isolamento para impedir que os jogadores se aproximassem do VAR.

5 x 4 NOS PÊNALTIS – Internacional e Palmeiras tiveram que decidir a vaga em pênaltis. Guerrero, Rafael Sóbis, Edenilson, volante Rodrigo Lindoso – ex-Botafogo – e Nonato converteram com categoria. Weverton, do Palmeiras, que impediu a derrota no tempo normal, com pelo menos quatro defesas daquelas consideradas impossíveis, defendeu a cobrança de Patrick. As cobranças do Palmeiras foram convertidas por Bruno Henrique, Luan, Diogo Barbosa e Willian. O carioca Marcelo Lomba, ex-Flamengo, defendeu a cobrança do zagueiro paraguaio Gustavo Gomez, capitão do Palmeiras.

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba, Bruno (Nonato), Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel (Wellington Silva); Rodrigo Lindoso, Edenilson, Patrick e D’Alessandro;  Nico Lopez (Rafael Sóbis) e Guerrero. Técnico – Odair Hellmann. 

PALMEIRAS – Weverton, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gomez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Moisés); Dudu, Zé Rafael (Willian) e Deyverson (Carlos Eduardo). Técnico – Luiz Felipe Scolari.

SETE CARTÕES – Além da expulsão do meia argentino D’Alessandro, o árbitro advertiu com cartões amarelos Marcos Rocha, Luan, Dudu e Gustavo Gomez, do Palmeiras, e Wellington Silva, Nico Lopez e D’Alessandro. R$2.306.661,00. 38.836 pagantes.

Foto: Gustavo Granata / Estadão Conteúdo