O Palmeiras assumiu a liderança do Grupo F da Libertadores, ao golear (4 x 0) o Melgar, em jogo encerrado no início da madrugada desta sexta (26), no Estádio Monumental de Arequipa, em um vale da cordilheira dos Andes, no sul do Peru. O Palmeiras já saiu para o intervalo com 2 x 0, gols do zagueiro paraguaio Gustavo Gomez, de cabeça, aos nove, após escanteio de Gustavo Scarpa, que fez o segundo gol, aos 21, com chute bem colocado de fora da área.

MAIS DOIS – Gustavo Scarpa, um dos destaques da noite, marcou o terceiro gol, por coincidência aos 21 minutos e outra vez de fora da área, com assistência de Hyoran, que também fez o cruzamento para Moisés completar a goleada, aos 36 minutos, confirmando o amplo domínio do Palmeiras. O time aproveitou bem as duas semanas de treinamento, após a eliminação das finais do Campeonato Paulista. O estádio recebeu pouco público, devido à campanha ruim do FC Melgar, que já entrou eliminado.

BOA AJUDA – O Palmeiras só assumiu a liderança porque o San Lorenzo, da Argentina, perdeu (1 x 0, gol de Michael Rangel) para o Junior Barranquilla, que ainda não havia feito gol, no Estádio Metropolitano Roberto Melendez, no norte da Colômbia. Os argentinos atribuíram a atuação ruim ao calor de 30 graus, mesmo às nove da noite, e à umidade. O jogo teve nove cartões amarelos e o vermelho dado ao atacante Andrés Renteria, do San Lorenzo, expulso quase no fim.

PALMEIRAS – Weverton, Mayke, Gustavo Gomez, Luan e Victor Luis; Felipe Melo, Bruno Henrique (Moisés, 31 do segundo tempo) e Zé Rafael (Hyoran, 15 do segundo tempo); Dudu (Lucas Lima, 25 do segundo tempo), Deyverson e Gustavo Scarpa. O Palmeiras tem 12 pontos – 4 vitórias, 1 derrota – e saldo de 11 gols, com 12 marcados e apenas 1 gol sofrido. O último jogo da fase de grupos será dia 8 de maio, em São Paulo, com o vice-lider San Lorenzo, que tem 10 pontos – 3 vitórias, 1 empate, 1 derrota – e saldo de três gols (4 marcados). O árbitro Carlos Orbe, do Equador, mostrou 9 amarelos e expulsou o lateral Carlos Neyra, do Melgar.

APELOS – Durante vários momentos do jogo, o locutor Carlos Ortiz fez apelos através do sistema de som do estádio para que os torcedores não usassem laser para prejudicar a visão do goleiro do Palmeiras. Mas ele insistiu mesmo foi com o pedido para que os torcedores do Melgar não proferissem palavras de ofensas racistas, a fim de evitar punição ao clube.