Escolha uma Página

Campeão paulista e semifinalista da Libertadores, o Palmeiras venceu (2 x 0) o America, na noite de ontem (30), no estádio Independência, e disputará a final da Copa do Brasil pela quinta vez, tentando o quarto título na decisão de 3 e 7 de fevereiro com o Grêmio, o que deixou o técnico português Abel Ferreira surpreso: “Decisão em dois jogos? Não sabia. Pensei que fosse só um, mas o futebol brasileiro gosta mesmo de muito jogo, e se são dois jogos, então vamos jogar” – disse com sorriso irônico.

COM JUSTIÇA – Depois do 1 x 1 no primeiro jogo, em seu Allianz Parque, em São Paulo, o Palmeiras precisava vencer para voltar a ser finalista, após quatro anos, o que conseguiu com justiça na noite de ontem (30), em Belo Horizonte. O primeiro tempo foi equilibrado e com poucas chances de gol, mas o Palmeiras soube se impor na volta do intervalo. Luiz Adriano fez 1 x 0, de fora da área, aos 24, e Rony, de cabeça, marcou o segundo gol, aos 40 minutos, após o goleiro rebater a cabeçada de Mayke.

WEVERTON, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gomez e Matias Viña; Gabriel Menino (Patrick de Paula), Danilo e Raphael Veiga (Lucas Lima); Rony, Willian (Gustavo Scarpa) e Luiz Adriano (Mayke) -, finalistas da Copa do Brasil 2020, que garantiram ao clube o mínimo de R$22 milhões pela participação na decisão – o prêmio do campeão é de R$54 milhões -, após os R$7 milhões pela disputa das semifinais. Clube e jogadores têm acerto pré-estabelecido pelos títulos da temporada.

AS 4 FINAIS – O Palmeiras só perdeu a primeira das quatro finais da Copa do Brasil, que disputou em 1996 com o Cruzeiro: 1 x 1 em São Paulo e 2 x 1 em Belo Horizonte. Dois anos depois, por coincidência, a primeira final que ganhou foi em outra decisão com o Cruzeiro: o Palmeiras perdeu no Mineirão (1 x 0) e ganhou em São Paulo (2 x 0). Em 2012, o Palmeiras venceu o Coritiba (2 x 0) em São Paulo e empatou (1 x 1) em Curitiba. Em 2015, venceu o Santos nos pênaltis (4 x 3), após 0 x 1 e 2 x 1.

BOM LEMBRAR – Depois de defender as cobranças do meia Marquinhos Gabriel e do zagueiro Gustavo Henrique, hoje no Flamengo, o goleiro Fernando Prass, hoje no Ceará, converteu a última cobrança (4 x 3) e deu a Copa do Brasil de 2015 ao Palmeiras, sob a direção do técnico Marcelo Oliveira. Time campeão: Fernando Prass, João Pedro (Lucas Taylor), Victor Hugo, Jackson e Zé Roberto; Mateus Sales, Arouca e Robinho; Dudu, Lucas Barrios (Cristaldo) e Gabriel Jesus (Rafael Marques).

AMERICA – Meritória a campanha do America Mineiro, dirigido pelo técnico gaúcho Lisca. Primeiro da história da Série B a chegar às semifinais da Copa do Brasil, eliminou Internacional e Corinthians, e fez dois bons jogos com o Palmeiras. Time: Mateus Cavichioli, Daniel Borges (Marcelo Toscano), Messias, Anderson Jesus e Savio; Juninho, Flavio (Zé Ricardo), Geovane (Felipe Augusto) e Alê (Calyson); Ademir e Rodolfo (Vitão). O clube receberá R$7 milhões por disputar as semifinais.

BOM DIZER – O America é vice-líder da Série B do Campeonato Brasileiro com 60 pontos, a 2 pontos da líder Chapecoense, com quem empata em vitórias (17), e faltando seis jogos para o final, tem a volta praticamente garantida à Série A em 2021. Sábado (2), joga em Campinas com o Guarani, sexto com 47 pontos, e faz os outros jogos fora com Nautico e Confiança. Os três jogos restantes, em Belo Horizonte, serão com Vitória, Brasil de Pelotas e Avaí, na última rodada.

ARBITRAGEM – Wilton Pereira Sampaio, da Federação Goiana, teve atuação segura em America 0 x 2 Palmeiras, na noite de ontem (30), no estádio Independência, em Belo Horizonte. Fez três advertências com cartão amarelo: Gustavo Gomez e Lucas Lima, do Palmeiras, e Daniel Borges. Penso que nos jogos da decisão da Copa do Brasil, a Comissão de Arbitragem da CBF escalará Wilton Pereira Sampaio, e Raphael Claus, da Federação Paulista, os mais cotados para a Copa do Mundo de 2022.

Foto: Esportes R7