Escolha uma Página

O Palmeiras manteve 100% de aproveitamento na liderança do Grupo B da Libertadores, ao vencer (2 x 1) o Bolívar, na noite de ontem (16), no estádio Hernando Siles, na altitude de 3.640 metros de La Paz, a capital mais alta do mundo. A derrota para o Palmeiras foi a primeira que o Bolívar sofreu após 37 anos e seis meses, depois de oito vitórias e três empates com equipes brasileiras em seu estádio, onde só havia sido derrotado (2 x 1 de virada) pelo Grêmio, em 25 de março de 1983.

ARTILHEIRO – O Palmeiras já saiu para o intervalo com 1 x 0, gol do meia Willian, artilheiro do time em 2020 com 11 gols, junto com Luiz Adriano, que ficou em São Paulo se recuperando de contusão. Willian converteu com categoria, aos 34 minutos, o pênalti em Rony, cometido pelo zagueiro Jusino, de 28 anos, natural de Springfield, terceira maior cidade do estado americano de Massachusetts, que lhe pediu (e ganhou) a camisa, na saída para o vestiário.

GOLAÇO…AÇO…AÇO! – O meia Gabriel Menino, de 19 anos, paulista de Morungaba, a 108 km da capital, uma das gratas revelações do futebol brasileiro, fez o gol da vitória aos 15 do segundo tempo, com chute forte e certeiro, da entrada da área, no canto de Javier Rojas, bom goleiro boliviano de 24 anos, 1,85m. Com certeza, Jorge Curi assinaria: golaço…aço…aço! O atacante argentino Marcos Riquelme, de 31 anos, fez de cabeça, aos 22 minutos, seu centésimo gol com a camisa do Bolívar, dirigido pelo seu compatriota Claudio Vivas, de 52 anos, ex-técnico do peruano Sporting Cristal, de Lima.

OS LÍDERES – Weverton, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gomez e Viña; Ramires (Bruno Henrique), Gabriel Menino, Zé Rafael (Scarpa) e Rafael Veiga (Danilo); Willian (Vitor Hugo) e Rony (Gabriel Veron) – o invicto Palmeiras, do técnico Vanderlei Luxemburgo, 9 pontos em 3 jogos, após 2 x 0 no Tigre, da Argentina; 3 x 1 no Guarani, do Paraguai, e 2 x 1 no Bolívar. Próximo jogo com o Guarani, quarta (23), em Assunção, após o jogo de domingo (20) com o Grêmio, em Porto Alegre, pelo Brasileiro.

BOM LEMBRAR – O Palmeiras foi o segundo a vencer o Bolívar na altitude de 3.640 metros de La Paz, 37 anos e seis meses após a virada (2 x 1) do Grêmio, do técnico Valdir Espinosa, na noite da sexta, 25 de março de 1983, com 30 mil torcedores no estádio Hernando Siles. Navarro fez o gol do Bolivar aos 35, e na volta do intervalo, Osvaldo, aos 21, e China, aos 37, na virada do Grêmio: Remi, Silmar, Leandro José, De Leon e Casemiro; China, Osvaldo e Tita; Renato Gaúcho, Cesar (Tarciso) e Tonho (Bonamigo).

Foto: César Greco/Ag.Palmeiras, REUTERS/David Mercado