Pelé e Maradona têm (algumas) coisas em comumNasceram em outubro, são do mesmo signoPelé, em 1940, dia 23. Maradona, em 1960, dia 30Essa diferença de vinte anos fez com que nunca tenham se enfrentadoPelé e Maradona, de Escorpião, oitavo signo astrológico do Zodíaco. O signo dos corajosos, ambiciosos, que raramente não conseguem o que queremO signo dos sensuais, desconfiados, antissociais e obcecados por dinheiro.

O NÚMERO –  A camisa 10 ficou famosa por acaso. O Brasil não mandou números, só nomes, dois dias antes da Copa do Mundo de 1958, e um funcionário da FIFA colocou o número, ao lado de cada nome, como achou melhor. Gilmar, o goleiro, era 3. Na Argentina, há quem garanta que Maradona escolheu o 10 para mostrar que o melhor 10 do mundo era ele, o que o tempo e a sequência da carreira dele não confirmaram. Pelé, sim, imortalizou a camisa 10.

MARADONA foi profissional em seis times. No Argentinos Juniors, de 76 a 81, com 149 gols em 166 jogos. No Boca, clube do coração, de 81 a 82 e de 95 a 97, quando encerrou, 46 gols em 71 jogos. No Barcelona, de 82 a 84, fez 38 gols em 58 jogos. No Napoli, de 84 a 91, 259 jogos, 199 gols, ganhando os dois únicos campeonatos italianos da história do clube, em 1987 e 1990. No Sevilha – 92-93 -, 29 jogos, 14 gols. 93-94, no Newell’s Old Boys, 5 jogos, 0 gol. Total da carreira, em clubes: 588 jogos, 446 gols. Na seleção, de 77 a 94, 91 jogos, 34 gols. Campeão do mundo 1986.

PELÉ – Da base do Bauru, de 52 a 56, Pelé foi 18 anos profissional do Santos, de 1956 a 1974, com 1.091 gols em 1.116 jogos. Ganhou 10 Campeonatos Paulistas (oito consecutivos, de 61 a 68) e onze anos artilheiro, nove consecutivos (57 a 65); seis Campeonatos Brasileiros e três torneios Rio-São Paulo. Primeiro bicampeão da Libertadores e Mundial de clubes em 62-63, e campeão da Recopa Sul-Americana em 64. No Cosmos, de 75 a 77, 106 jogos, 64 gols. Na seleção, de 7/7/57 a 31/10/90, 114 jogos, 95 gols. Campeão do mundo 1958, 1962, 1970.

MUITA PAZ – O sucesso de Pelé sempre provocou muito ciúme em Maradona, que iniciou a troca de farpas. Pelé nunca o atacou por usar droga e ter sido banido da Copa de 94. Bom dizer: eles também tiveram seus momentos de muita paz, como em 2016, quando se reencontraram no Palácio Royal, em Paris, em jogo de cinco entre profissionais antigos. Maradona: “Bom vê-lo recuperado da cirurgia no quadril”. Pelé: “Também estou feliz em vê-lo bem”.

DOIS ANOS depois, quando jornalistas italianos pediram comparação entre ambosPelé fez uma até então inédita: “O Maradona é ótimo, mas nunca fez gol de pé direito nem de cabeça”. Antes que outro repórter emendasse pergunta, Pelé acrescentou: “Meu pai fez cinco gols de cabeça em um jogo. Esse é um recorde que eu não consegui”. Segundo Pelé, Celeste e Dondinho, seus pais, fecharam a fábrica depois que ele nasceu…

15 SÉCULOS – Comentário do cineasta e pintor americano Andy Warhol – 1928 – 1987 –, que ganhou destaque no New York Times, um dos jornais mais importantes do mundo, depois de assistir a um jogo de Pelé no Cosmos de Nova York: “Pelé é um dos raros que contradizem minha teoria: em vez de 15 minutos de fama, ele terá 15 séculos”.

A DESPEDIDA -Em seu último jogo, em 24/8/77, com 73 mil torcedores no Giants Stadium, em Nova York, Pelé marcou o terceiro gol dos 4 x 1 do Cosmos no Seattle Sounders. Em seu último jogo, em 25/10/97, com 60 mil torcedores no estádio Monumental de Nuñez, Maradona, com dores musculares, foi substituído por Cannigia, no intervalo, com o Boca perdendo para o River. O Boca virou (2 x 1) e ele voltou ao campo só para fazer gestos obscenos aos torcedores do River.
PERSONALIDADES E O REIRonald Reagan – 1911 – 2004 -, quadragésimo primeiro presidente dos Estados Unidos, de 1981 a 1989 -, ao receber Pelé no salão oval da Casa Branca: “Prazer, eu sou Ronald Reagan, presidente dos Estados Unidos. Você não precisa se apresentar porque o mundo todo conhece o Pelé“…

Johan Cruyff – 1947 – 2016 , um dos maiores jogadores holandeses da história do futebol mundial, no dia em que conheceu e abraçou Pelé: “Nenhum outro ultrapassou os limites da lógica no futebol, só o Pelé. Incomparável, único, eterno”.Just Fontaine, maior artilheiro de uma única edição da Copa do Mundo, com 13 gols, depois dos 5 x 2 que o Brasil impôs à França na semifinal de 1958, com três gols de Pelé: “Nesse jogo, depois do que vi o Pelé fazer, senti que era minha hora de encerrar a carreira.

Bobby Moore, capitão da seleção inglesa que ganhou a única Copa do Mundo em 1966, e quatro anos depois perdeu para o Brasil, no Mundial do México: “Pelé tinha o equilíbrio perfeito e a visão impossível pela rapidez. Tinha dois bons pés e a magia no ar para o cabeceio. Um gênio”.Gordon Banks – 1937 – 2019 -, goleiro inglês que fez a defesa histórica de todas as Copas do Mundo, em cabeçada de Pelé, no estádio Jalisco, em Guadalajara, domingo, 7 de junho de 1970, quando lhe perguntaram: “Como você soletra Pelé? Ele respondeu sorrindo: G.O.D (God é Deus, em inglês).  Não à toa, Waldir Amaral dizia: Pelé, o Deus de todos os estádios!!!

PELÉ E O TEMPO – 1992 – Nomeado embaixador da ONU de ecologia e meio ambiente. 1994 – Proibido por João Havelange, presidente da FIFA, de participar do sorteio em Las Vegas dos grupos da Copa do Mundo, por ter acusado Ricardo Teixeira, presidente da CBF, de corrupto. Teixeira era genro de Havelange. 1995 – Nomeado ministro do Esporte pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, criou a Lei Pelé de combate aos corruptos.1997 – Recebeu da rainha Elizabeth, no Palácio de Buckingham, o título honorário de Cavaleiro do Império Britânico.

1997 – Bill Clinton, presidente dos Estados Unidos, fez questão de bater bola com Pelé, em solenidade na quadra da Mangueira. 2007 – Convidado de honra da festa de 150 anos do Sheffield, clube mais antigo do mundo, no amistoso do time inglês com a Inter de Milão. 2009 – Imagem da cidade, na campanha de apoio aos Jogos Olímpicos Rio 2016. 2012 – Convidado de honra da solenidade de encerramento dos Jogos Olímpicos Londres. 2017 – Convidado de honra do presidente Vladimir Putin, da Rússia, nas cerimônias de abertura e encerramento da Copa das Confederações.

BOM DIZER, SEMPRE – Só Pelé foi o único jogador da história do futebol mundial, eleito Atleta do Século, prêmio que recebeu em 15 de maio de 1981, em Paris. Foi escolhido por jornalistas, de várias gerações, de todo o mundo.

Fotos: soccerladuma.co.za / Ricardo Alfieri/Wikimedia Commons / Youtube / Reuters / Jornal Folha de Condeúba