DOIS MESES E SEIS DIAS depois de completar 82 anos, nascido na 4ª feira, 23 de outubro de 1940, em Três Corações, município do Sul do estado de Minas Gerais, Pelé morreu hoje, 5ª feira, 29 de dezembro de 2022, um mês após ser internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na capital do estado de São Paulo.

PELÉ NÃO RESISTIU A COMPLICAÇÕES de um câncer no cólon, parte do intestino grosso, que se estendeu em metástase pelo fígado, restante do intestino e um dos pulmões. No mesmo hospital, em 2012, ele retirou parte do osso do quadril e colocou uma prótese, e em 2014, retirou cálculos que obstruíam o fluxo urinário.

O CORPO DE PELÉ sairá do hospital para o centro do gramado do estádio da Vila Belmiro, na madrugada da 2ª feira, 2 de janeiro, e será velado, a partir das 10 horas da manhã. O enterro será 3ª feira (3), às 10 horas, no Memorial Necrópole Ecumênica, em cerimônia reservada apenas às pessoas da família.

PELÉ FOI BATIZADO com o nome de Edson porque seu pai, Dondinho, ex-zagueiro do Atlético Mineiro, gostava do gênio norte-americano Thomas Edison, que em 1879 inventou a lâmpada elétrica. O Edson de Pelé foi sem o Edison de Thomas porque no momento do registro o tabelião não incluiu a letra i e o pai não prestou atenção.

A TRAJETÓRIA EXTRAORDINÁRIA DE PELÉ foi de 7 de setembro de 1956 a 1 de outubro de 1977, com 1.283 gols em 1.363 jogos. Ele detém um recorde de 64 anos, bem difícil de ser igualado, o de 58 gols no Campeonato Paulista de 1958, ano em que se tornou o mais jovem campeão do mundo, aos 17 anos 249 dias.

Foto: Pelé / Twiter