Escolha uma Página

O MOMENTO MAIS EMOCIONANTE do quarto dia da 17ª Eurocopa foi registrado antes do primeiro jogo desta 2ª feira (17), quando os jogadores da Ucrânia entraram envoltos à bandeira do país – amarelo e azul claro – para ouvir o Hino Nacional, antes da estreia com a Romênia, que venceu por 3 x 0, na Allianz Arena de Munique.

OS UCRANIANOS AINDA SOFREM muito com a invasão da Rússia, desde a 5ª feira, 24 de fevereiro de 2022, no maior confronto militar da Europa desde a 2ª Guerra Mundial (1 de setembro de 1939 a 2 de setembro de 1945). A seleção disputou todos os jogos fora de seu território, destruído em quase 70%, com estimativa de quase 800 mil mortos.

A ROMÊNIA VENCEU POR 3 x 0, aproveitando falhas do goleiro Andriy Lunin, do Real Madrid. O meia e capitão Stanciu, do Damac FC, da Arábia Saudita, fez o 1º gol aos 29, e no 2º tempo, também de fora da área, o meia Razvan Marin, do italiano Empoli, marcou o 2º aos 8, e o 3º gol, aos 12, foi do atacante Denis Dragus, do turco Gaziantep.

ROMÊNIA 3 x 0 UCRÂNIA, apitado pelo sueco Glenn Nyberg, foi o jogo com menos falta: 17 (8 da Ucrânia), e 1 cartão amarelo para cada seleção. Em sua sexta participação, de volta à Eurocopa depois de oito anos, a Romênia espera, pelo menos, repetir 2000, quando chegou às quartas de final ao vencer a Inglaterra por 3 x 2.

FAVORITA FOI SURPREENDIDA

TERCEIRA DO RANKING DA FIFA, e depois de 14 jogos invicta, a favorita Bélgica foi surpreendida pela Eslováquia (48º lugar no ranking de 210 seleções), que a venceu por 1 x 0, no segundo jogo de hoje (17), diante de 58 mil torcedores, no Waldstadion, em Frankfurt, cidade do maior centro financeiro da Alemanha.

O GOL QUE DECIDIU O JOGO foi do atacante Ivan Schranz, de 30 anos, logo aos sete minutos, aproveitando erro na saída de bola da defesa belga. Ele joga no Slavia Praga, doze vezes campeão tcheco, e dos poucos que atuam no país. A Bélgica teve dois gols de Lukaku anulados por impedimento pelo árbitro turco Halil Umut Meler, de 37 anos, que marcou 24 faltas e dois amarelos.

AS SELEÇÕES TÊM TÉCNICOS estrangeiros: o ítalo-alemão Domenico Tedescu, engenheiro de 38 anos, dirige a Bélgica desde fevereiro de 2023, e o italiano Francesco Calzona, ex-meia de 55 anos, foi o primeiro a dirigir simultaneamente um time da Série A da Itália, o Napoli, e uma seleção estrangeira, a da Eslováquia, em fevereiro de 2024.

Fotos: Reprodução / Correio do Povo