Paolo Guerrero voltou ao Maracanã, onde brilhou com o Flamengo, campeão carioca em 2017, em grande estilo e foi destaque da noite desta terça (18) na virada (3 x 1) do Peru sobre a Bolívia, ao marcar o gol de empate no último minuto do primeiro tempo. Guerrero passou a dividir com o chileno Eduardo Vargas, que na véspera fez dois gols nos 4 x 0 no Japão, a artilharia dos atacantes em ação na Copa América, com 12 gols. Guerrero é o maior artilheiro da história da seleção peruana com 36 gols.

HOMENAGEM – O atacante Marcelo Moreno completou 32 anos nesta terça (18) e os torcedores bolivianos o homenagearam na saída para o intervalo com uma faixa, e soltaram balões brancos com números verdes do ano (1987) do seu nascimento. Ele fez o primeiro gol da noite, convertendo o pênalti cometido com o braço pelo zagueiro Zambrano, aos 27 minutos. Foi o décimo oitavo gol pela seleção. O árbitro tinha dado impedimento e só após consultar o VAR foi que marcou o pênalti. Os torcedores fizeram irritados com a demora de cinco minutos e vaiaram muito.

QUASE GOLEADA – Se o primeiro tempo apresentou equilíbrio e empate justo, a volta do intervalo mostrou o Peru muito superior. O goleiro boliviano Carlos Lampe, com quatro defesas daquelas consideradas impossíveis, evitou a goleada. Logo aos 9 minutos, Jeferson Farfan fez 2 x 1, completando de cabeça o cruzamento de Guerrero. O atacante é um dos mais velhos (34) da seleção peruana e completou 26 gols em 94 jogos. Farfan é do Lokomotiv Moscou desde 2017.

NOS ACRÉSCIMOS – Ao completar o placar de 3 x 1, o meia-atacante Edison Flores, de 25 anos, encobriu o goleiro, após driblar o zagueiro Jusino, aos 50 minutos, dentro dos acréscimos de sete minutos. Foi seu décimo segundo gol em 45 jogos pela seleção, que defende desde 2013. Flores joga desde 2016 no AaB Aalborg, time de porte médio do norte da Dinamarca. 

PERU – Gallese, Advíncula, Zambrano (Araujo, 39 do segundo tempo), Abram e Trauco; Tapia, Yoton, Polo e Cueva (Flores, 33 do segundo tempo); Farfan e Guerrero (Cristopher Gonzalez, 47 do segundo tempo). Técnico – Ricardo Gareca. O Peru jogará com o Brasil, sábado (22), na Arena Corinthians.

BOLÍVIA – Carlos Lampe, Diego Bejerano, Luis Haquin, Jusino e Marvin Bejerano; Justiniano, Saucedo (Roberto Fernandez, 25 do segundo tempo), Saavedra (Leonardo Vaca, 27 do segundo tempo) e Raul Castro (Gilbert Fernandez, 36 do segundo tempo); Chumacero e Marcelo Moreno. Técnico – Eduardo Villegas. Depois de duas derrotas em que sofreu seis gols e só marcou um, a Bolívia tentará a primeira vitória, sábado (22), no Mineirão, onde jogará com a Venezuela.CINCO CARTÕES – O árbitro Rody Zambrano, do Equador, fez três advertências com cartão amarelo no primeiro tempo: Zambrano, aos 27, pelo pênalti com o braço; Chumacero, aos 28, por reclamar da marcação do pênalti, e Guerrero, aos 40, por entrar de sola no lateral Marvin Bejerano. No segundo tempo, dois cartões para os bolivianos Roberto Fernandez, aos 26, e Luis Haquin, aos 36, ambos por reclamação. Peru 3 x 1 Bolívia, com R$4.901.323,00. 17.550 pagantes no Maracanã.

TÉCNICO DO FLAMENGO – O português Jorge Jesus assistiu Peru 3 x 1 Bolívia, mostrando interesse em observar o lateral-esquerdo Trauco, um de seus jogadores após a Copa América. O técnico será apresentado quinta (20) aos jogadores, quando começa a preparação para estrear dia 10 de julho, em Curitiba, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil com o Atlético Paranaense. O primeiro jogo em que comandará o Flamengo será com o Goiás, dia 14, às 11 horas, no Maracanã, pela décima rodada do Brasileirão 2019. Jesus assumirá o Flamengo em terceiro, com 17 pontos, oito a menos que o líder Palmeiras….

Foto: ESPN