Escolha uma Página

Mesmo sem jogar bem, embora dominando do início ao fim, e só ter ganho com gol contra, Portugal estreou na liderança do Grupo A das eliminatórias para a Copa do Mundo 2022, com 1 x 0 sobre o Azerbaijão, na noite desta quarta (27), no estádio da Juventus, em Turim, no Norte da Itália. O gol contra, aos 37 do primeiro tempo, foi do lateral-direito Maksim Medvedev, capitão e oitavo que mais jogou pela seleção, após a bola bater em sua perna, depois que o goleiro rebateu chute de Ruben Neves.

SEM BRILHO – Tentando a oitava participação em Copas do Mundo, Portugal estreou sem brilho, menos ainda seu capitão Cristiano Ronaldo, mesmo no estádio em que está habituado há dois anos como artilheiro da Juventus. Foram poucos seus chutes em gol, e o mais perigoso foi em cobrança de falta. Bom lembrar: em sete Mundiais, as melhores posições de Portugal foram com técnicos brasileiros: terceiro lugar em 1966 com Oto Glória e quarto lugar em 2006 com Luis Felipe Scolari.

OBJETIVO – Obcecado por gol, Cristiano Ronaldo – 102 gols em 168 jogos pela seleção portuguesa – quer superar Ali Daei, recordista com 109 gols em 149 jogos pela seleção do Irã. Ali Daei é considerado o melhor jogador iraniano de todos os tempos, e disputou duas das cinco Copas de que o Irã participou, em 1998 e 2006. Hoje, aos 52 anos, é técnico do Persepolis FC, o vermelho e branco da capital Teerã, pentacampeão e vice-líder do atual campeonato do Irã, disputado por 16 equipes.

PORTUGAL – Anthony Lopes, João Cancelo, Domingos Duarte, Ruben Dias e Nuno Mendes; João Moutinho (Bruno Fernandes), Ruben Neves (João Palhinha) e Bernardo Silva (Sergio Oliveira); Pedro Neto (Rafa Silva), Cristiano Ronaldo e André Silva (João Félix). O técnico Fernando Santos gostou dos estreantes Nuno Mendes e João Palhinha, ambos do Sporting, e com eles, chegou a 49 caras novas na seleção, que reconheceu não ter feito boa apresentação:”Faltou-nos alguma coisa de imaginação”.

11 VITÓRIAS – Portugal completou ontem (24) onze vitórias em estreias nas eliminatórias para a Copa do Mundo. A última derrota havia sido em 9 de setembro de 2016, por 2 x 0 para a Suíça, no estádio São Jacó, na Basileia. Mas a seleção se recuperou nos dois jogos seguintes com os suíços, vencendo (2 x 0 e 3 x 1) e garantindo a vaga na Copa do Mundo de 2018, em sua quinta participação consecutiva desde o Mundial de 2002 no Japão e na Coreia do Sul.

INSPIRAÇÃO – Sobre a vitória de ontem (24), no estádio da Juventus de Turim, o jornal Record, de Lisboa, publica em sua edição de hoje (25): “Portugal 1 x 0 Azerbaijão, sem pingo de inspiração. Um gol oferecido permitiu uma vitória obtida em hora e meia de atuação sem intensidade, sem dinâmica e com raríssimos toques de classe”. O jornal A Bola destacou em sua análise: “Autogolo insólito garantiu a vitória, mas Portugal não soube traduzir o domínio em vantagem mais ampla”.

ITALIANO – O técnico da seleção do Azerbaijão, sem vitória nos últimos seis jogos, é o italiano Giovanni de Biasi, de 64 anos, ex-meia da Inter de Milão, que em 2016 classificou a Albânia para a Eurocopa de seleções. Bom lembrar: a seleção do Azerbaijão foi treinada em 2004-2005 por Carlos Alberto Torres – 1944 – 2016 -, o capitão da seleção campeã do mundo em 1970. País da extinta União Soviética, hoje Rússia, o Azerbaijão é um país entre o Leste europeu e o Sudoeste asiático.

20 FALTAS – Portugal 1 x 0 Azerbaijão teve boa atuação de Daniel Siebert, berlinense de 36 anos, o mais jovem dos 10 árbitros alemães da FIFA desde 2015. Ele marcou 20 faltas (9 de Portugal) e só aplicou dois amarelos, em Bruno Fernandes, por reclamação, e no meia Emreli, por falta em Ruben Neves. Portugal acertou mais 379 passes (629 a 270) e deu 14 chutes em gol, e o Azerbaijão, nenhum. O próximo jogo de Portugal é sábado (27) com a Sérvia, que ontem (24) ganhou (3 x 2) da Irlanda.

Foto: SIC Notícias