Primeiros semifinalistas, PSG e Leipzig disputarão na próxima terça (18) o direito de decidir a Liga dos Campeões, pela primeira vez, no próximo dia 23, no estádio da Luz, do Benfica. Não foi de virada, como a vitória do PSG sobre o Atalanta, mas o Leipzig repetiu nesta quinta (13) o placar de 2 x 1 sobre o Atlético de Madrid, que deixou de ser semifinalista pela quarta vez, depois de 1974, 2014 e 2016. O jogo desta quinta (13), no estádio José Alvalade, do Sporting de Lisboa, só melhorou no segundo tempo.

INICIATIVA – O primeiro tempo foi ruim, sem criatividade e sem finalizações com perigo. O Leipzig teve mais iniciativa e o Atlético de Madrid só procurou marcar. O rendimento melhorou no segundo tempo, com a entrada do português João Félix, que sofreu e converteu o pênalti no gol de empate, vinte minutos depois do espanhol Dani Olmo ter feito o gol da equipe alemã. O Atlético só procurou atacar quando estava em desvantagem no placar e teve o castigo da eliminação nos minutos finais. 

TRÊS GOLS – O Leipzig fez 1 x 0 aos seis do segundo tempo, após cruzamento do lateral inglês Kieran Tripper, que o meia Dani Olmo, espanhol de 22 anos, 1,79m, completou de cabeça à direita do goleiro. O Atlético empatou aos 26, após a tabela de Diego Costa e João Félix, derrubado pelo zagueiro Klostermann. João Félix bateu o pênalti no canto direito. O goleiro húngaro Peter Gulacsi, de 30 anos, 1,91m, foi na bola, sem tocá-la. O time espanhol tentou o desempate, mas não teve forças.

ESTREANTE – O gol da vitória do Leipzig foi do meia americano Tyler Adams, de 21 anos, 1,75m, nascido em Nova York, onde foi revelado no New York Red Bulls, entre 2010 e 2015, tornando-se profissional aos 16 anos. Estreou na vitória (4 x 2) sobre o Chelsea, campeão da Europa, em amistoso em Nova York. Depois de sub-15, 17 e 20, fez o primeiro jogo na seleção principal dos Estados Unidos em amistoso (1 x 1) com Portugal, em 2017. Está no Leipzig desde janeiro de 2019.

TYLER ADAMS marcou o gol da vitória sobre o Atlético de Madrid aos 43 do segundo tempo, quando a prorrogação parecia inevitável. Ele finalizou da meia-lua, de pé direito e o goleiro esloveno Jan Oblak faria a defesa, mas a bola desviou no zagueiro montenegrino Stefan Savic e entrou no alto, no meio do gol. Adams disse que os chutes de meia distância fazem parte da orientação do técnico Julian Nagelsmann, de 33 anos, ex-zagueiro, que só jogou dois anos, devido às contusões no joelho. Ele dirige o time desde junho de 2019 e ficou em terceiro no campeonato alemão, já com vaga na Champions 2020-2021.

33 FALTAS – O árbitro Szymon Marciniak, polonês de 39 anos, natural de Plock, a 110 km da capital Varsóvia, é da FIFA desde 2016. Atuação segura, marcou 33 faltas (12 do Atlético de Madrid) e advertiu cinco com cartão amarelo, todos no segundo tempo. O primeiro foi para o lateral Renan Lodi, ex-Athletico Paranaense, por simulação de pênalti, e o segundo do Atlético para o zagueiro uruguaio Gimenez, por falta dura. Os do Leipzig, Kampl, Haidara e Klostermann, pelo pênalti.

APAGADOS – O forte do Atlético de Madrid foi a marcação, sobressaindo-se os zagueiros Gimenez e Savic. O meio melhorou com a entrada de João Félix, aumentando também o rendimento de Carrasco. O sergipano Diego Costa foi apagado, até sair para a entrada do espanhol Alvaro Morata, que nada acrescentou. Quem fez a equipe crescer foi o meia português João Félix, de 20 anos, comprado em julho de 2019 do Benfica por 126 milhões de euros, hoje o equivalente a 810 milhões de reais.

APLICADO – O Leipzig não tem um destaque. Segue à risca a cartilha alemã do futebol aplicado, com boa marcação e usando a velocidade como principal força. Pelo que mostrou na vitória sobre o Atlético de Madrid, terá que melhorar e jogar muito mais na próxima terça (18), no estádio do Benfica, para vencer o PSG e chegar pela primeira vez à final da Champions em 11 anos de existência, fundado em 11 de maio de 2009. O Leipzig foi comprado pela austríaca Red Bull, quando estava na quinta divisão.

COTAÇÕES – O Bayern de Munique, octacampeão alemão, tem cotação de 36%, contra 6% do Barcelona, no jogo desta sexta (14), no estádio da Luz, valendo vaga na semifinal para enfrentar o vencedor de sábado (15), em que o Manchester City é amplo favorito, com 36%, contra menos de 1 por cento do francês Lyon. Na semifinal da próxima terça (18), o favoritismo do PSG sobre o Leipzig é de 58% contra 42% do time alemão.

Fotos: Facebook do LEIPZIG