A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL promove nesta 4ª feira (24) um seminário, com o objetivo de aumentar a campanha contra o racismo. Entre as medidas a serem adotadas nos estádios, a de orientação dos clubes aos torcedores, a fim de que se conscientizem da importância da igualdade entre as pessoas.

CONSTA TAMBÉM DO PROJETO, A IDEIA de apresentar uma proposta ao Conselho Técnico para que analise e decida sobre a aplicação da perda de pontos dos times que tenham torcedores com comportamento racista. A medida passaria a vigorar a partir de 2023, com mais rigor, em todos os jogos do Campeonato Brasileiro. A meu juízo, não será justa, tampouco creio que tenha aprovação dos clubes.

AS DECISÕES RECENTES DA CBF não têm sido constantes, muito menos firmes, com relação a mudanças. O da proibição da venda do mando de campo e o da limitação da troca de técnicos, retiradas no ano seguinte, são suficientes como exemplos. O não cumprimento quase sempre se apoia na certeza da impunidade, uma constante.

HÁ CONSENSO DOS OBSERVADORES de que o seminário nada acrescentará a outras campanhas, e que também não vai eliminar, menos ainda diminuir o problema. Seja pela cor, ou desigualdade social, ofender é falta de educação de quem não teve berço. A educação, tanto quanto à saúde, é problema crônico do Brasil.

foto: Lucas Figueiredo/CBF