Escolha uma Página

O presidente Florentino Perez, do Real Madrid, nem viu a goleada (4 x 1, de virada) que o time impôs neste domingo (10) ao Valladolid, na rodada 27 do Campeonato Espanhol, porque viajou a Londres, onde nesta segunda (11) decidirá sobre o novo técnico para a temporada 2019-2020. Ele vai conversar com José Mourinho, sem clube desde dezembro de 2018, quando foi demitido pelo Manchester United, e com Maurício Pochettino, que desde 27 de maio de 2014 dirige o Tottenham de Londres.

MOURINHO – Português de Setúbal, 56 anos, começou em 2000 no Benfica e teve passagens pelo FC Porto, Chelsea, Inter de Milão e Real Madrid, que dirigiu de 2010 a 2013 em 178 jogos, sem ganhar título internacional. Foi campeão espanhol, da Supercopa da Espanha e da Copa do Rei. No Porto, bicampeão português e campeão da Europa. Na Inter, bicampeão italiano e campeão da Europa. No Chelsea, três vezes campeão inglês e campeão da Europa. Autoinstitula-se o técnico de 25 títulos.

POCHETTINO – Argentino de Murphy, 47 anos, ex-zagueiro, começou como técnico no Espanyol, de Barcelona, que dirigiu em 161 jogos, de 2009 a 2012. É treinador na Inglaterra desde 2013, quando assumiu o Southampton e comandou o time em 60 jogos até 2014. Foi contratado pelo Tottenham de Londres em 27 de maio de 2014. Na temporada passada, por iniciativa do clube, renovou contrato até 2022, mas as partes não revelaram sobre multa em caso de rompimento. 

CONTRATO LONGO – A ideia do presidente Florentino Perez, engenheiro civil de 71 anos, diretor de uma grande empresa de arquitetura em Madrid e com fortuna avaliada em três bilhões de dólares, é a de propor contrato longo ao novo técnico, que só assumiria na pré-temporada em junho/julho de 2019. Até o fim do campeonato, em maio, o argentino Santiago Solari seguiria no comando da equipe, já sem título para disputar. Mourinho pode até voltar, mas assessores do presidente preferem outro técnico.

BRASILEIRO EXPULSO – O apoiador Casemiro, dos mais tensos na fase atual do time, foi expulso aos 35 do segundo tempo pelo árbitro Gil Manzano, pela reincidência em reclamação, quando o Real Madrid já vencia (3 x 1) e tinha o jogo dominado, diante de 21.914 torcedores no estádio José Zorrilla, em Valladolid. O lateral Marcelo também foi advertido com cartão amarelo, aos 47 do segundo tempo, cinco minutos após substituir Reguillón. 

GOLS ANULADOS – Por impedimento, o Valladolid teve dois gols anulados e perdeu um pênalti batido por Alcaraz, que chutou fora, antes de fazer 1 x 0 aos 29 minutos, com o gol do meia Anuar Tuhami, espanhol de origem marroquina. O zagueiro francês Raphael Varane empatou aos 35. Na volta do intervalo, o francês Karim Benzema fez 2 x 1, de pênalti, aos 10, e 3 x 1, de cabeça, aos 13. O croata Modric marcou o quarto gol aos 39, mas não comemorou.

EM TERCEIRO – Com 16 vitórias em 27 rodadas, o Real Madrid manteve o terceiro lugar com 51 pontos, cinco atrás do Atlético de Madrid, vice-lider com 56, e 12 pontos atrás do líder Barcelona, com 63 pontos e 19 vitórias. Ronaldo Fenômeno, que comprou o Valladolid, viu o time sofrer a décima terceira derrota e com 26 pontos, em décimo sexto lugar, ficar só um ponto acima do primeiro da zona de rebaixamento.

Foto: site oficial do Real Madrid