Escolha uma Página

O primeiro jogo das semifinais da Liga dos Campeões da Europa, em que Real Madrid e Chelsea empataram em um gol, na noite desta última terça (27) de abril, no estádio Alfredo Di Stefano, em Madrid, teve a participação de sete brasileiros: Eder Militão, Marcelo, Casemiro, Vinicius Junior e Rodrygo, da equipe espanhola, e Thiago Silva e Jorginho, naturalizado italiano, do time inglês, com a vantagem do 0 x 0 no segundo jogo, na próxima quarta (4), em Londres, para voltar à final depois de nove anos.

O PRIMEIRO – Aproveitando o lançamento do grande círculo do zagueiro alemão Antonio Rudiger, o meia Christian Pulisic, de 22 anos, tornou-se o primeiro norte-americano a marcar um gol nas semifinais da Liga dos Campeões, aos 14 minutos do primeiro tempo, após driblar o goleiro belga Courtois. Nascido em Hershey, no estado da Pensilvânia, Pulisic terminou a formação de base em 2018 no Borussia Dortmund, que o vendeu em janeiro de 2019 ao Chelsea por 64 milhões de euros (R$285 milhões).

O QUARTO – Com o gol de empate, aos 29 minutos, o francês Benzema, de 33 anos, tornou-se o quarto maior artilheiro da Liga dos Campeões, junto com Raul, ex-Real Madrid, com 71 gols, depois de Cristiano Ronaldo (134), Messi (119) e Lewandowski (73). Bom dizer: o gol de Benzema foi todo em jogada de brasileiros: Marcelo cruzou, Casemiro cabeceou para o meio da área, Eder Militão fez outro desvio de cabeça, e Benzema, pouco antes da linha da pequena área, bateu forte de pé direito no alto.

IRREGULAR – Em suas edições digitais, os jornais Mundo Deportivo e Marca, de Madrid, e Sport, de Barcelona, viram falta de Casemiro, apoiando-se no ombro do ala Azpilicueta, ao cabecear para o meio da área. Bem colocado, o árbitro holandês Danny Makkelie, de 38 anos, nada marcou nem foi chamado por seu compatriota Kevin Blom, árbitro de 47 anos, monitor do VAR. Nenhum outro jogador do Chelsea, além do próprio Azpilicueta, que disputou o lance com Casemiro, reclamou.

SEIS CARTÕES – O árbitro marcou 20 faltas (9 do Chelsea) e aplicou seis cartões amarelos, o primeiro em Vinicius Junior, aos 26, por falta em Pulisic, advertido com o segundo, aos 38, por falta em Marcelo. Os cinco amarelos do segundo tempo foram para o Real Madrid: Toni Kroos, aos 15, por falta em Kanté; Marcelo, aos 19, por falta em Chiweel; Varane, aos 32, por falta em Havertz, e Odriozola, aos 44, por falta em Rudiger, a única que parou o jogo por dois minutos para atendimento ao zagueiro.

REAL MADRID – Courtois, Eder Militão, Varane e Nacho; Carvajal (Odriozola), Modric, Casemiro, Toni Kroos e Marcelo (Asensio); Vinicius Junior (Eden Hazard) e Benzema (Rodrygo) – todo de branco e o goleiro todo de amarelo. O técnico Zidane elogiou a reação do time e lamentou a bola na trave de Benzema, minutos antes de empatar, aos 22 minutos, quando a chuva caiu forte, sem alterar as condições do gramado, com excelente drenagem. Marcelo completou 99 jogos na Liga dos Campeões.

CHELSEA – Édouard Mendy, Christensen, Thiago Silva e Rudiger; Azpilicueta (James), Kanté, Jorginho e Chiwell; Monte, Pulisic (Ziyech) e Timo Werner (Havertz) – todo de azul e o goleiro todo de vermelho. O técnico Thomas Tuchel disse que “o jogo foi bom e o resultado justo”. Dos oito brasileiros relacionados para o jogo, apenas o lateral Emerson Palmieri, santista de 26 anos, no Chelsea desde 2018, comprado da Roma, ficou na reserva. Ele e Jorginho se naturalizaram e jogam na seleção italiana.

DECISÃO – O jogo de volta será na próxima quarta (4), no estádio Stamford Bridge, em Londres. O Chelsea se classifica com 0 x 0 e o Real Madrid com empate por dois ou mais gols. Outro 1 x 0 leva à prorrogação e aos pênaltis. O vencedor decidirá a Liga dos Campeões com PSG ou Manchester City. O primeiro jogo será nesta quarta (28), no Parque dos Principes, em Paris, e o segundo, terça (3), no Etihad Stadium, em Manchester, no Noroeste da Inglaterra.

Foto: Mais Goiás