Escolha uma Página

Lateral-esquerdo revelado na base do Fluminense e que não foi além dos trinta jogos na equipe principal, porque logo surgiu o interesse do clube com mais títulos de campeão na Europa, o carioca Marcelo está a 28 jogos de se tornar o estrangeiro com mais atuações no Real Madrid. A coincidência do novo recorde é que ele vai superar a marca de outro brasileiro, da mesma posição, o paulista Roberto Carlos, que de 1996 a 2007, fez 527 jogos e marcou 68 gols.

CAMISA 500 – Marcelo completou 500 jogos pelo Real Madrid, ontem (29), na goleada (4 x 0) sobre o Zaragoza, pela Copa do Rei da Espanha, e ganhou a camisa branca personalizada, com o número 500 em dourado, entregue pelo presidente Florentino Perez. Logo em seguida, ele compartilhou a grande alegria com os companheiros no vestiário. “Um momento especial na minha vida profissional. Amo e devo tudo a esse clube extraordinário” – resumiu.

13 ANOS DEPOIS – Desde desde a estreia, em 7 de janeiro de 2007, comprado do Fluminense por apenas sete milhões de euros, o equivalente, hoje, a menos de R$30 milhões, Marcelo mostra-se ansioso pelo dia em que chegará ao jogo 528, a fim de se tornar o estrangeiro que mais vestiu a camisa do Real Madrid em jogos oficiais: “Sou feliz desde que cheguei, mas esse dia será ainda mais especial e não sei qual será minha reação”.

21 TÍTULOS – Marcelo Vieira da Silva Júnior, carioca, 31 anos, taurino de 12 de maio de 1988, 1,74m, ambidestro, alegre, extrovertido, sempre de bem com a vida, acumula 21 títulos em 13 anos no Real Madrid. Foi quatro vezes campeão do Campeonato Espanhol; da Liga dos Campeões da Europa; do Mundial de clubes e da Supercopa da Espanha. Foi três vezes supercampeão da Europa e duas vezes campeão da Copa do Rei da Espanha.

345 VITÓRIAS – Nos 500 jogos com a camisa do Real Madrid, Marcelo ganhou 345, marcou 36 gols e deu 94 assistências. No início, com o técnico chileno Manuel Pellegrini, em 2007, jogou mais como ala. Quando o português José Mourinho assumiu, em 2011, passou a atuar mais como lateral, no vaivém da marcação e do apoio. Querido por todos os colegas, ganhou do capitão Sergio Ramos a segunda braçadeira, o que o deixou muito emocionado.

GOL CONTRA – Marcelo foi o primeiro, e único até hoje, a fazer gol contra na história da seleção brasileira: o gol da Croácia, na abertura da Copa de 2014, na Arena Corinthians. Menos mal – relembra – porque ganhamos de virada (3 x 1). Depois da Copa de 2018 não voltou a ser  lembrado por Tite, encerrando o ciclo de 58 jogos, desde a estreia em 5 de junho de 2007, convocado por Dunga: “Infelizmente, não foi possível ganhar a Copa” – resume.

TATUAGENS – Marcelo é adepto de tatuagens, e entre as muitas pelo corpo, a do número 12, o da camisa do Real Madrid, que usa desde a chegada ao clube; o dia em que nasceu – 12 de maio de 1988 -, e o nome do avô Pedro, cuja morte, às vésperas da estreia na Copa de 2014, foi o maior abalo que sentiu: “Quando eu comecei no futsal, mesmo que não jogasse bem, ele dizia que eu havia sido o melhor em quadra. Ninguém me apoiou mais que vô Pedro”.

VIDA FELIZ – Marcelo sente muito orgulho da família e faz questão de destacar a educação que teve dos pais, que sempre lhe mostraram o caminho certo. Vive uma vida feliz com a esposa Clarisse e os filhos Enzo, de 11 anos, e Liam, de 5 anos, em casa simples, mas muito confortável, em um dos condomínios tranquilos de Madrid. A cidadania espanhola, que obteve em julho de 2011, foi outro reconhecimento que o deixou muito alegre.

BOM DIZER – O ex-lateral-esquerdo Roberto Carlos, paulista de Garça, hoje aos 46 anos, ainda é o estrangeiro que mais jogou pelo Real Madrid, até quer Marcelo chegue em breve ao jogo 528. De 1996 a 2007, Roberto Carlos marcou 68 gols em 527 jogos, e foi quatro vezes campeão espanhol, três vezes campeão da Liga dos Campeões e dos poucos que ganharam, no mesmo ano, a Copa do Mundo e a Liga dos Campeões, em 2002. Na seleção, marcou 12 gols em 125 jogos, de 1992 a 2006.

Foto: Site oficial do Real Madrid