Quase cinquenta anos depois, as oito expulsões do Grenal da vergonha, na Arena Grêmio, representam menos da metade do recorde da história de 61 anos da Copa Libertadores, registrado na noite de 17 de março de 1971, no estádio La Bombonera, em Buenos Aires, onde 19 jogadores foram expulsos no empate entre Boca Juniors e Sporting Cristal pelo árbitro uruguaio Alejandro Otero, que também tem sua história fora do futebol.

A CONFUSÃO – Estava 2 x 2 e o Boca precisava vencer para passar de fase. Aos 44 do segundo tempo, o meia Rogel caiu na área e o árbitro nada marcou. O meia Suñé ficou revoltado, ofendeu o árbitro e foi expulso. Antes de sair, iniciou briga com o atacante peruano Gallardo, que lhe deu um soco e correu na direção do vestiário, sem ser alcançado. Suñé provocou outros jogadores, formando-se a confusão generalizada em campo, com 19 expulsos!

NA CADEIA – O único dos 10 do Sporting Cristal, não expulso, foi o goleiro Luis Rubiños, titular da seleção do Peru, em sétimo lugar na Copa de 70, treinada pelo bicampeão mundial Didi. O zagueiro Melendez, que era peruano, e o meia Sanchez foram os não expulsos do Boca. Todos os jogadores expulsos, e também o árbitro, passaram a noite na mesma cela, só sendo liberados depois do meio dia. A noite foi calma, como se nada houvesse acontecido.
18 MESES – Reconhecido como iniciante da confusão, o meia Ruben Suñé foi punido com 18 meses de suspensão! Capitão do time multicampeão de 76 a 78, ele é um dos grandes da história do clube, que o homenageou em dezembro de 2016, três anos antes de sua morte, com uma estátua em tamanho natural no Museu do Boca. 

TRUCULENTO – O árbitro Alejandro Otero foi preso, junto com os 19 jogadores que expulsou. Ele era inspetor da Polícia Federal e foi dos que combateram com mais truculência o temível grupo Tupamaros, perseguido pela ditadura uruguaia nos anos 60-70. Na época,Otero prendeu o então guerrilheiro José Mujica, que seria o presidente do país, de 2010 a 2015, e depois se elegeria senador da República Oriental do Uruguai.

BOM DIZER – A Copa Libertadores de 1971, em sua décima segunda edição, foi ganha pela primeira vez pelo Nacional do Uruguai, que venceu (2 x 0) o Estudiantes da Argentina, em jogo de desempate, no Estádio Nacional de Lima, capital do Peru, após uma vitória de cada time, em Montevidéu e em La Plata. Foram 20 equipes, duas de cada país, em cinco grupos de quatro. Fluminense e Palmeiras representaram o Brasil.