Sessenta e seis anos depois do primeiro tricampeonato no Maracanã, em 53-54-55, o Flamengo estabeleceu o recorde de seis tricampeonatos cariocas, ao ganhar o quinto no estádio, com os 3 x 1 da noite de ontem (22) sobre o Fluminense, que só deu um chute na direção do gol no segundo tempo. Não houve surpresa alguma: o Flamengo é bem superior e o Fluminense pode ter outra decepção, depois de amanhã (25), na Argentina, ao ser eliminado da Copa Libertadores pelo River.

MUITO FÁCIL – Embora só tenha marcado os gols nos minutos finais, o Flamengo já saiu para o intervalo com 2 x 0, em falhas do goleiro Marcos Felipe, incluído na seleção do campeonato, sem que saiba por que. A falta que cometeu em Arrascaeta, aos 44, foi grosseira, e Gabriel converteu em seu vigésimo gol de pênalti, dos 84 que marcou em 116 jogos. Três minutos depois, Marcos Felipe voltou a falhar e Gabriel aproveitou para fazer 2 x 0 com chute cruzado.

SÓ IMPRESSÃO – No reinício do jogo, o Fluminense deu a falsa impressão de que reagiria, mas ficou só no que se convenciou chamar de gol de honra. O pênalti do zagueiro Rodrigo Caio no atacante Caio Paulista, foi claro e o VAR confirmou. Fred converteu aos 7 minutos, e ficou nisso, embora o Fluminense, como havia feito no 1 x 1 do primeiro jogo, tenha trocado os atacantes, sem que o rendimento melhorasse. Aos 43, João Gomes fez seu primeiro gol como profissional e definiu os 3 x 1.

OS CAMPEÕES – Gabriel Batista, Isla (Matheuzinho), Arão, Rodrigo Caio e Filipe Luis; Diego (Hugo Moura), Gerson (João Gomes), Everton Ribeiro e Arrascaeta (Vitinho); Gabriel (Pedro) e Bruno Henrique – o time campeão 2021, com 17 finalizações (9 na direção do gol), 71% de posse de bola, 26 das 41 faltas, 8 dos 11 escanteios e 2 dos 8 cartões amarelos (Rodrigo Caio, pelo pênalti, e Bruno Henrique). O técnico Rogerio Ceni considerou normal a discussão entre Diego (cap) e Gabriel, no intervalo.

O PRIMEIRO TRI – Depois de seu primeiro título como técnico, em 1939, Flavio Costa comandou o time do primeiro tri, em 42-43-44, em que se sobressaíram o artilheiro Pirilo, o meia Zizinho, o ponta argentino Valido, e no último ano, a consagrada linha média Biguá, Bria e Jaime. O notável Domingos da Guia, maior zagueiro de todos os tempos, não participou da campanha de 44, transferindo-se para o Corinthians.

O SEGUNDO TRI – Depois de oito anos sem o título, o Flamengo ganhou o segundo tri, no Maracanã, em 53-54-55, dirigido por Fleitas Solich, técnico do Paraguai, campeão sul-americano de 53, ao vencer (3 x 2) o Brasil. Em 53, o ataque Joel, Rubens, Índio, Benitez e Esquerdinha fez 77 gols em 27 jogos, com 22 do artilheiro paraguaio Benitez. Em 54, Zagalo entrou na ponta e Índio foi o artilheiro com 18 dos 64 gols em 27 jogos, e em 55, o ataque fez 87 gols em 30 jogos, com 23 do artilheiro Paulinho, que substituiu Rubens. Benitez saiu e Evaristo entrou revezando com Dida, maior artilheiro antes de Zico. Não à toa, o Flamengo era chamado de Rolo Compressor.  Historinhas para que os mais novos conheçam e os mais velhos relembrem.

ARTILHEIROS – Nos anos 2000, o Flamengo teve seis artilheiros: 2001 – Edilson (16). 2010 – Vagner Love (15). 2013 – Hernane (12). 2017 – Guerrero (10). 2019 – Bruno Henrique (8). 2020 – Gabriel (8), empatado com João Carlos, do Volta Redonda, que no mesmo período teve cinco artilheiros do campeonato estadual: 2002 – Fabio (16). 2005 – Tulio (12). 2016 – Amaral (10). 2020 – João Carlos (8), empatado com Gabriel. O artilheiro de 2021, Alef Manga (9 gols), de 26 anos, emprestado ao Volta Redonda,  disputará o Brasileiro da Série B pelo Goiás. Ele começou na base do Santos, junto com Gabriel, do Flamengo, e Zeca, do Vasco.

FLAMENGO x VELEZ – Invicto e já classificado com 11 pontos – 3 vitórias, 2 empates, saldo de 5 gols (14 a 9) – o Flamengo só precisa do empate, quinta-feira (27), no Maracanã, no jogo com o Velez, segundo com 9 pontos, para terminar como primeiro do Grupo G da Libertadores, o que dá a vantagem de disputar como mandante o segundo jogo nas oitavas de final. Bom lembrar: o Flamengo venceu o Velez (3 x 2, de virada), na abertura da fase de grupos na Argentina. 

Foto: 90 min | Foto: RICARDO MORAES / REUTERS | Facebook do Flamengo