Escolha uma Página

ALEGRE E DESCONTRAÍDO, Messi cantou e bateu palmas com os 50 mil torcedores, que lotaram na noite de ontem (25) o estádio de La Bombonera, do Boca Juniors, para assistir ao último jogo da Argentina em Buenos Aires, antes da Copa do Mundo no Catar. A Argentina venceu a Venezuela por 3 x 0, encerrando a 17ª rodada.

O ÚNICO GOL DO 1º TEMPO foi do atacante Nicolás Gonzalez, de 23 anos, após cruzamento rasteiro do meia Rodrigo de Paul, de 27 anos, que o Atlético de Madrid comprou da Udinese por 35 milhões de euros, em 2021, após a Copa América. Nicolás Gonzalez, autor do gol, foi comprado do Stuttgart pela Fiorentina.

NA VOLTA DO INTERVALO, a seleção argentina ampliou aos 34, com Di Maria recebendo lançamento de Rodrigo de Paul e encobrindo o goleiro Fariñez. Di Maria repetiu o lance do gol da final dos Jogos Olímpicos de 2008 – 1 x 0 na Nigéria – e do gol da final da Copa América de 2021 – 1 x 0 no Brasil -, no Maracanã.

MESSI FECHOU O PLACAR aos 38, amortecendo no peito o lançamento de Di Maria e finalizando no canto. Foi a 7ª vitória em 8 jogos em casa com a Venezuela, que só conseguiu 1 empate. A Argentina completou 30 jogos de invencibilidade com 20 vitórias desde que o técnico Lionel Scaloni, de 43 anos, assumiu em 2018.

A ÚLTIMA DERROTA da seleção argentina foi para o Brasil por 2 x 0, em 7 de julho de 2019. Na última rodada, 3ª (29), Equador e Argentina farão jogo de classificados para a Copa de 2022. A Argentina em 2º, disputará sua 18ª Copa, tentando o 3º título, e o Equador, em 3º, vai disputar a Copa pela 4ª vez.

“UM JOGO PARA RECORDAR, pelo ambiente maravilhoso, pela festa compartilhada de jogadores e torcedores, pelos gols e pela bela exibição da seleção” – destaca Olé, principal jornal esportivo argentino em sua edição deste sábado (26). O jornal diz ainda que “a Argentina elevou o nível após a conquista da Copa América, diferente da Itália, que caiu após ganhar a Eurocopa, e vai ver a Copa pela 2ª vez na TV”.

Foto: Superesportes