Escolha uma Página

O Real Madrid ganhou nesta quinta (16) o trigésimo quarto título de campeão espanhol, ao vencer (2 x 1) o Villarreal, na penúltima rodada, em que o Barcelona foi surpreendido no Camp Nou pelo Osasuna, décimo primeiro colocado, que o derrotou (2 x 1) em sua décima terceira vitória em 36 rodadas. O Real Madrid ganhou o primeiro título espanhol fora do estádio Santiago Bernabeu, em obras, utilizando o Alfredo Di Stefano, de seis mil lugares, onde manda os jogos do seu time B, o Real Castilla.

13 ANOS DEPOIS – O Real Madrid ganhou o título como mandante pela primeira vez, desde a temporada 2006-07, impondo a décima quarta derrota ao Villarreal com que havia empatado (2 x 2) no turno. Confiável e sólido, o recordista de títulos conquistou o mais longo e complexo campeonato da história do futebol espanhol, que precisou ser interrompido em março, em virtude da pandemia do novo coronavírus. Faltando um jogo, tem 26 vitórias, 86 pontos e saldo de 45 gols, com 68 marcados e 23 sofridos.

O ARTILHEIRO – Com um gol em cada tempo, o francês Karim Benzema, de 32 anos, 1,85m, artilheiro do time com 21, marcou pela primeira vez mais de 20 gols em dois campeonatos consecutivos. Ele chegou ao Real Madrid em 2009, completando hoje (16) 248 gols em 511 jogos, quinto maior goleador do clube. Benzema fez 1 x 0 aos 28, com assistência de Luka Modric, e 2 x 0 aos 31 do segundo tempo, convertendo pênalti de Chakla em Sergio Ramos.

O GOLEIRO – Os minutos finais foram difíceis para o Real Madrid, após o gol de cabeça do meia espanhol Vicente Iborra, de 32 anos, aos 37, seu primeiro em 36 jogos. O Villarreal se agigantou e só não empatou porque o goleiro Courtois, belga de 28 anos, 1,99m, fez duas defesas notáveis. Nos acréscimos, um gol de Asensio, do Real Madrid, bem anulado pelo VAR, monitorado pelo árbitro asturiano Pablo Fuertes, que flagrou o toque de mão de Vinícius Jr., antes de dar a assistência.

O TÉCNICO – Zinèdine Zidane, de 48 anos (23/6/1972), nascido na Argélia e criado em Marselha, no Sul da França, repetiu 2016-17 e ganhou o segundo título como técnico do Real Madrid, ao completar 61 jogos em 2019-20, totalizando 210, com a soma dos 149 jogos, de 2016 a 2018. Entrou de vez para a história do clube, ao se tornar o primeiro técnico três vezes  consecutivas campeão da Liga dos Campeões da Europa, em 2015-16-17-18.

O CRAQUE – De técnica refinada, preciso nos passes e nas finalizações, o ex-meia Zidane fez 154 gols em 724 jogos, foi bicampeão italiano 96-97/97-98 como destaque da Juventus, e marcou 59 gols em 244 jogos pelo Real Madrid, entre 2001 e 2006, iniciando como técnico em 2013 no Real Castilla, o time B. Três vezes prêmio FIFA de melhor do mundo, fez 108 jogos e 31 gols pela seleção, campeã em 98 e vice em 2006. Com Pelé, Vavá e o alemão Paul Breitner, Zidane forma o quarteto dos que fizeram gol em duas finais de Copa. Em 1998, fez dois nos 3 x 0 no Brasil, e em 2006 marcou no 1 x 1 com a Itália, em que foi expulso após uma cabeçada no peito do zagueiro Marco Materazzi.

OS RECORDES – Com 26 conquistas internacionais, o Real Madrid tem outros recordes: 1 – 22 vitórias consecutivas no campeonato de 2014-15. 2 – 40 jogos sem perder na temporada 2016-17. 3 – Fez gol em 73 jogos consecutivos. 4 – 13 vezes campeão, único três vezes consecutivas, da Liga dos Campeões da Europa, e único a participar de oito semifinais. 5 – No recorde de 34 títulos de campeão espanhol, o primeiro de sua história de 118 anos (6/3/1902), na temporada 1931-32, foi invicto. 

O PIONEIRO – Do recorde de 13 títulos da Champions, o pioneiro Real Madrid ganhou os cinco primeiros seguidos, de 1955-56 a 1959-60, com destaque para o notável atacante argentino Alfredo Di Stefano, com 308 gols em 396 jogos, entre 1953 e 1964. Di Stefano é reconhecido como o melhor jogador da história de 118 anos do clube, e antes de morrer, em 7/7/2014, aos 88 anos, recebeu o diploma de presidente de honra do Real Madrid, aplaudido de pé no salão nobre.

EVARISTO – Um dos primeiros brasileiros a brilhar na Espanha, Evaristo de Macedo foi destaque no Real Madrid, entre 63 e 65, formando um ataque histórico: Canário (ex-América), Evaristo, Di Stefano, Puskas e Gento, ponta com mais títulos (23) no clube. Kaká e Ronaldo Fenômeno também brilharam, mas o estrangeiro com mais jogos na história do Real Madrid é o ex-lateral-esquerdo Roberto Carloscom 527 jogos e 68 gols, entre 1996 e 2007. 

CRISTIANO RONALDO – Entre 2009 e 2018, o artilheiro português que hoje brilha na Juventus, tornou-se o maior goleador da história do Real Madrid: em 438 jogos fez 450 gols, superando o espanhol Raul Gonzalez, que havia feito 323 gols em 741 jogos, entre 1994 e 2010. Em nove anos, mais 127 gols em menos 303 jogos do que Raul Gonzalez marcou em mais sete anos. Bom dizer: Raul Gonzalez é o recordista de jogos (741) do Real Madrid, seguido do goleiro Iker Casillas (725).

BARCELONA PERDE – O Barcelona sofreu a sexta derrota, primeira no Camp Nou, 2 x 1 para o Osasuna, décimo primeiro com 51 pontos, que conseguiu a décima terceira vitória depois de 12 empates e 12 derrotas. O jogo foi sonolento, justificando o bocejo do meia goiano Arthur, que depois até dormiu nas cadeiras… Arnaiz fez 1 x 0 e na volta do intervalo Messi empatou em mais uma linda cobrança de falta. Torres marcou o gol da vitória do Osasuna. DOMINGO (19), o campeão Real Madrid visitará o Leganés. O vice-campeão Barcelona também será visitante no jogo com o Alavés. 

Fotos: Real Madrid FC