Sem conseguir entrar na fase de grupos da Libertadores, ao perder pela segunda vez de virada (2 x 1) para o Independiente del Valle, na noite de ontem (14), o Grêmio deixou de ganhar R$17 milhões e terá novo técnico na Copa Sul-Americana, que disputará a partir da próxima semana com Lanús, da Argentina; Aragua, da Venezuela, e La Equidad, da Colômbia. A demissão de Renato Gaúcho, que não dirigiu o time nos dois jogos, recuperando-se da Covid, é exigida pela maioria da diretoria. 

SEM PASSADO – A pressão pela demissão do técnico é muito forte sobre o presidente Romildo Bolzan Jr., dos poucos favoráveis à permanência de Renato, que comanda o time desde setembro de 2016, e em janeiro acertou a renovação do contrato até dezembro de 2021. O vice-presidente Claudio Oderich foi enfático: “Não podemos fazer avaliação de amor ao passado, mas do que o Grêmio quer e precisa daqui pra frente. O Renato é o maior ídolo do clube, tem estátua no estádio, mas…”

MUDOU TUDO – Se houvesse vencido na noite de ontem (14), o Grêmio estrearia na Libertadores na próxima quarta (21), em Porto Alegre, com o Defensa y Justicia, que ganhou a Recopa Sul-Americana nos pênaltis, na decisão da noite de ontem (14) com o Palmeiras, e teria como outros adversários no Grupo A, Universitário do Peru e Palmeiras. Mas, ao ser eliminado pelo Independiente del Valle, do Equador, do técnico português Renato Paiva, o Grêmio só vai disputar a Copa Sul-Americana. 

A VIRADA – O Grêmio não conseguiu passar da terceira fase, para entrar na fase de grupos da Libertadores, ao levar a segunda virada do Independiente del Valle, quinto colocado entre os dezesseis do campeonato do Equador, na noite de ontem (14), na Arena Grêmio. O meia Jean Pyerre fez o gol do Grêmio aos 22 minutos; o ponta argentino Christian Ortiz empatou aos 48, de falta, e marcou o da vitória aos 21 do segundo tempo, quatro minutos após a expulsão do volante carioca Maicon.

BOM LEMBRAR – O Grêmio teve que disputar a fase preliminar da Libertadores por ter ficado em sexto lugar no Campeonato Brasileiro, com 59 pontos – 14 vitórias, 17 empates, 7 derrotas, saldo de 13 gols (53 x 40) – e por ter perdido a Copa do Brasil para o Palmeiras, já garantido por ter sido campeão da Libertadores de 2020, o que assegurou ao Fluminense, quinto colocado com 64 pontos, a última vaga direta.

Foto: Bolavip