Escolha uma Página

Após demitir Tiago Nunes, que só ficou 74 dias no comando do time, e de cogitar do retorno de Luis Felipe Scolari, sem clube desde que saiu do Cruzeiro em janeiro, o Grêmio trata da volta de Renato Gaúcho, demitido em abril, depois da eliminação na fase preliminar da Libertadores. No jogo da décima rodada do Brasileiro com o Palmeiras, amanhã (7), em São Paulo, o time será dirigido por Tiago Gomes, de 37 anos, da comissão técnica permanente do clube desde 2016.

SEM ACORDO – Na reunião da noite de ontem (5) do Conselho de Administração do Grêmio, não houve consenso. Alguns dirigentes se opõem à volta de Renato, mas ele é o preferido do presidente Romildo Bolzan e de todos os jogadores, de acordo com pesquisa do repórter Rafael Pfeiffer, da Rádio Guaíba, divulgada pelo Correio do Povo. Renato ainda não foi procurado, mas já antecipou a amigos mais chegados que aceitaria a volta ao clube do coração.

RECORDISTA – Entre setembro de 2016 e abril de 2021, Renato tornou-se o técnico recordista da história de 117 anos do Grêmio, com 308 jogos – 161 vitórias, 82 empates, 65 derrotas -, e os títulos mais expressivos: campeão da Copa do Brasil 2016; campeão da Libertadores 2017; campeão da Recopa Sul-Americana 2018; tetracampeão gaúcho (2018 a 2021), e o primeiro brasileiro campeão da Libertadores como jogador (1983) e técnico (2017).

ESTÁTUA – A dois meses de completar 59 anos, Renato é o único homenageado pelo clube com estátua em tamanho natural na entrada da Arena Grêmio. Depois de ganhar a Libertadores, ele marcou os dois gols da decisão de 1983 com o Hamburgo, campeão da Europa, em que o Grêmio, com a vitória por 2 x 1, tornou-se o primeiro gaúcho campeão mundial de clubes. Mesmo fora do clube, Renato tem sofrido muito com o time sem vitória e em último lugar.

PIOR INÍCIO – O Grêmio realiza em 2021 o pior início de sua história no Campeonato Brasileiro, em que foi duas vezes campeão e três vezes vice. Com apenas 2 pontos ganhos em 6 jogos – dois empates, quatro derrotas e saldo negativo de cinco gols (4 a 9) -, o time terá depois do jogo de amanhã com o Palmeiras, em São Paulo, o Grenal de sábado (10). Após o clássico, o goleiro Breno e o meia Mateus Henrique viajarão com a seleção para os Jogos Olímpicos de Tóquio. O lateral Rafinha, o zagueiro Kannemann e o atacante Ferreira estão com dois cartões amarelos.

O ARQUIRRIVAL – A situação do Internacional, do técnico uruguaio Diego Aguirre, também é desconfortável. O time está em décimo quarto lugar com 10 pontos e dos nove jogos só ganhou dois, perdeu três e empatou quatro, e também tem saldo negativo de quatro gols, com 10 marcados e 14 sofridos. Antes do Grenal, o Inter jogará amanhã (7), na Arena Beira Rio, em Porto Alegre, com o São Paulo, primeiro dos quatro últimos, todos sem vitória