A rodada foi sob medida para o Flamengo, que depois de golear o Vasco assumiu a vice-liderança com o empate do Palmeiras, e um dia depois, com a derrota do Santos, ficou só a dois pontos do líder. Talvez, nem sob encomenda, a rodada pudesse ser tão boa, com os resultados favoráveis se encaixando. Sem dúvida, um belo salto de qualidade.

SOBE E DESCE – Mesmo que o time esteja concentrado em uma só competição, como é o caso do Santos, nem sempre se torna possível manter a regularidade. O Santos perdeu os dois últimos jogos como visitante, levando a virada (3 x 2) do São Paulo, no Morumbi, e os 2 x 0, no Mineirão, de um Cruzeiro que vinha de cinco empates e seis derrotas.

DUAS MISSÕES – O tempo está deixando o Flamengo bem distante de dois títulos. O último de campeão brasileiro foi em 2009, e o de campeão da Libertadores, ainda mais longínquo, em 1981. Não se sabe se terá gás, mas o Flamengo quer os dois em 2019. Ainda que possíveis, são missões duras e complicadas, que exigem fôlego.

AS DECISÕES – O Flamengo tenta conseguir quarta (21), no Maracanã, a vantagem para garantir na semana seguinte, na Arena Beira Rio, a vaga para a penúltima etapa da Libertadores, as semifinais. Quatro dias depois, estará em Fortaleza, tentando os três pontos no jogo com o Ceará para se manter vice-lider ou até mesmo assumir a liderança.

BOA VANTAGEM – O Flamengo terá os dois jogos mais importantes da reta final do turno com o Palmeiras e o Santos, no Maracanã. Entre um e outro, pode respirar no jogo com o lanterna Avaí. Até que chegue o domingo 2 de dezembro, com certeza muita coisa vai acontecer, mas é bom fazer uma base para se manter na linha de frente a cada rodada.

149 JOGOS, 349 GOLS – A décima quinta rodada, concluída na noite de ontem (18), foi a que mais registrou 1 x 0 (cinco), e teve, pela segunda vez, 18 gols. Foi a quinta sem 0 x 0. Com exceção do Flamengo, que fez quatro gols, só o Vasco, entre os cariocas, marcou um gol. Com 349 gols em 149 jogos, a média do Brasileirão 2019 é de 2.34 gols por jogo.

O FLAMENGO é o que mais se aproxima da média de gols do campeonato. A goleada no Vasco ampliou a vantagem do ataque mais positivo: o Flamengo marcou 32 gols em 15 jogos (2.13 gols por jogo), mais 7 que o líder Santos e mais 8 que o Palmeiras, mas tem a nona defesa mais vazada (18), mais 10 gols que a menos vazada, a do Corinthians (8).

OS ARTILHEIROS – Gabriel (11) e Bruno Henrique (7) – por justiça, 8 – contribuem com mais da metade dos gols do Flamengo. Everaldo, com o gol da vitória (1 x 0) da Chapecoense sobre o Avaí, no último jogo da noite de ontem (18), voltou a se isolar como vice-artilheiro com 8, um gol a mais que Bruno Henrique, Tiago Galhardo, Eduardo Sasha e Gilberto.

MICO TRICOLOR – O pior da rodada foi o mico que o Fluminense pagou, sob vaias, no Maracanã, ao perder para o CSA, que ainda não havia ganho e sequer feito gol como visitante. O Fluminense não conseguiu fazer gol na quarta pior defesa e sofreu gol do pior ataque (4 em 15 jogos). O antepenúltimo lugar do Fluminense resume bem o que é o time.