O Santos empatou em pontos (26) com o líder Palmeiras, que segue em primeiro pelo saldo de gols (14 a 7), ao vencer (1 x 0) o Botafogo no jogo que abriu o penúltimo domingo (21) de quatro jogos do Brasileirão 2019, no estádio Nilton Santos. R$480.278,70. 13.505 pagantes. O atacante alagoano Marinho, comprado para substituir Rodrygo, já incorporado ao Real Madrid, marcou o primeiro gol com a camisa do Santos, aos 30 do segundo tempo, depois que os times estavam com dez por duas expulsões.

VITÓRIA JUSTA – Mesmo sem fazer grande exibição, o Santos foi superior ao Botafogo na maior parte do jogo e mereceu. Foi a quinta vitória consecutiva, terceira por 1 x 0, do time do técnico argentino Jorge Sampaoli, que impôs ao Botafogo a primeira derrota em seu estádio no atual campeonato, de vez que a outra (1 x 0 Palmeiras) foi no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O Santos se igualou ao Palmeiras em pontos (26), vitórias (8), empates (2) e derrota (1). O saldo de gols do Palmeiras, que marcou 19 e sofreu 5 é superior porque o Santos fez 14 gols e sofreu 7.

BELO GOL – Marinho fez o belo gol da vitória aos 30 do segundo tempo, mandando bem de canhota no ângulo, sem chance para o goleiro. Mario Sergio Santos Costa, o Marinho, 29 anos, 1,69m, é de Penedo, no sul do estado de Alagoas, às margens do rio São Francisco, na divisa com Sergipe, a 160 km da capital, onde começou na base do Corinthians de Maceió. Foi campeão no Inter (2009) e no Grêmio (2019) e jogou no Nautico, Ceará, Cruzeiro, Vitória e no chinês Changchun Yatai.

BOTAFOGO – Gatito, Marcinho, Joel Carli, Gabriel e Gilson Victor Rangel, 13 do segundo tempo); Alex Santana, João Paulo e Cicero; Erik, Diego Souza (Jonathan, 27 do segundo tempo) e Luis Fernando (Pimpão, 19 do segundo tempo). Técnico – Eduardo Barroca. Terceiro jogo consecutivo sem fazer gol – 0 x 1 Grêmio, 0 x 0 Cruzeiro e 0 x 1 Santos -, após a última vitória (2 x 1, de virada) sobre o CSA. O próximo jogo é o clássico de domingo (28) com o Flamengo, às 16 horas, no Maracanã.

O BOTAFOGO caiu para sétimo com 16 pontos – 5 vitórias, 1 empate, 5 derrotas, saldo negativo de um gol (8 a 9) -, superado no saldo pelo Atlético Paranaense (também com 16 pontos), que ontem  goleou (4 x 0) o CSA, em Maceió. O saldo do Atlético é positivo (12 a 7), e o Botafogo pode terminar a rodada em queda de mais três posições, se Goiás, Corinthians e São Paulo, com 15 pontos, vencerem.

SANTOS – Everson, Lucas Veríssimo, Aguilar e Gustavo Henrique; Jean Mota (Victor Ferraz, 6 do segundo tempo), Diego Pituca, Carlos Sanchez e Jorge; Eduardo Sasha (Felipe Jonathan, 10 do segundo tempo), Fernando Uribe (Marinho, intervalo) e Soteldo. Técnico – Jorge Sampaoli. O Santos é vice-lider com 26 pontos – 8 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 14 gols marcados, 7 gols sofridos – e joga pela décima segunda rodada com o Avaí, domingo (28), na Vila Belmiro.

DUAS EXPULSÕES – Lucas Veríssimo deixou o Santos com 10 logo aos quatro do segundo tempo, por falta dura em Gilson. Levou o segundo amarelo seguido do vermelho. Na mesma situação em que Gilson, lateral do Botafogo, foi expulso aos 26, depois de falta dura em Marinho. O árbitro Heber Roberto Lopes, da Federação Catarinense, também advertiu com cartões amarelos os santistas Gustavo Henrique e Marinho – tirou a camisa para comemorar o gol -, e o zagueiro argentino Joel Carli, do Botafogo.

DESEMPATE – Botafogo e Santos jogaram pela nona vez no estádio Nilton Santos pelo Campeonato Brasileiro e houve o desempate, com a quarta vitória do Santos, três do Botafogo e dois empatesNo total do campeonato, o Santos também ampliou a vantagem, com 23 vitórias. O Botafogo venceu 20 jogos e houve 20 empates em 63 jogos.

Foto: Santos Futebol Clube