Escolha uma Página

Na volta do técnico Cuca, aliviado ao superar também problemas no pulmão e no fígado, enquanto ficou três semanas em recuperação da Covid-19, o Santos converteu pênaltis no início e no fim da vitória (4 x 2) sobre o Sport, na Vila Belmiro, no jogo com mais gols do último fim de semana de novembro do Campeonato Brasileiro, que chegou aos 549 gols em 223 jogos. Sexto, com 37 pontos, o Santos só pode ser ultrapassado pelo Fluminense, com 35, se vencer o Bragantino amanhã (30) no Maracanã.

10 MINUTOS – Com início arrasador, sem deixar o Sport sair do próprio campo, o Santos fez 2 x 0 em 10 minutos, na tarde de ontem (28), na Vila Belmiro. Logo aos 6 minutos, o canhoto Marinho – vice-artilheiro do campeonato com 13 gols – fez 1 x 0, convertendo com a categoria habitual o pênalti que o zagueiro Iago Maidana cometeu com o braço. Aos 10, após lançamento do volante Diego Pituca, o atacante Lucas Braga marcou o segundo gol.

O EMPATE – O Santos diminuiu o ritmo, mas manteve o jogo sob controle. Limitando-se aos contra-ataques, o Sport fez o primeiro gol aos 27, quando o atacante Marquinhos aproveitou o bom lançamento do lateral Patric, e aos 45, o uruguaio Leandro Barcia subiu no momento certo para empatar de cabeça, aproveitando o cruzamento do meia Lucas Mugni. A maioria dos jogadores do Santos reclamou muito do relaxamento, mas quem saiu reclamando mais foi Marinho.

SOTELDO – No intervalo, saiu o meia Lucas Lourenço e entrou Soteldo, com a 10, em homenagem do Santos a Maradona, com o nome no rodapé da camisa. O time ganhou mais dinâmica, mas o desempate só saiu aos 25, trêsminutos após Bruno Marques substituir Kaio Jorge. Bruno Marques, de 21 anos, 1,94m, formado na base do clube, fez 3 x 2, de cabeça – seu primeiro como profissional -, após cruzamento de Marinho, que aos 36 sofreu pênalti de Junior Tavares, convertido por Soteldo (4 x 2).

JOHN VICTOR, Pará, Lucas Veríssimo, Luis Felipe e Felipe Jonathan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Lucas Lourenço (Soteldo); Marinho, Kaio Jorge (Bruno Moura) e Lucas Braga (Madson) – o time do técnico Alexi Stival (Cuca), curitibano de 57 anos, que classificou como “primoroso” o segundo tempo do Santos e dedicou a vitória ao sogro, vítima da Covid-19. O Santos tem 37 pontos em 23 jogos – 10 vitórias, 7 empates, 6 derrotas, saldo de 7 gols (34 a 27) – e o próximo jogo é com o Palmeiras, domingo (6), na Vila Belmiro.

SPORT – Luan Polli, Chico, Adryelson (Jonatan Gomez) e Iago Maidana; Patric, Marcio Araújo (Ronaldo Henrique), Ricardinho (Bruninho), Lucas Mugni (Mikael) e Junior Tavares; Marquinhos (Maxwell) e Leandro Barcia. O assistente Cesar Lucena dirigiu o time porque o técnico Jair Ventura ainda se recupera da Covid-19. O Sport não fazia gol há três jogos e completou o quarto jogo sem vitória. O próximo jogo é com o São Paulo, domingo (6), no Morumbi.

TRÊS SUSPENSOS – Dos seis advertidos com cartão amarelo pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio, da Federação Goiana e da FIFA, três estão suspensos do próximo jogo: Jobson, do Santos, e Adryelson e Marquinhos, do Sport, que também teve o meia Lucas Mugni advertido. Os outros dois do Santos foram o meia Lucas Lourenço e o zagueiro Lucas Veríssimo, que em janeiro de 2021 se apresentará ao Benfica. A negociação está em fase final de acerto.

Foto: UOL Esporte