Com a vitória sobre o Fluminense por 2 x 1, no último dos quatro jogos da noite de ontem (26), no Maracanã, o São Paulo ampliou para sete pontos (56 a 49) a vantagem sobre o Atlético Mineiro, que voltou à vice-liderança por ter mais uma vitória (15 a 14) que o Flamengo, que tem menos um jogo, e pela primeira vez, em 26 jogos, não saiu do 0 x 0 no Brasileiro de 2020. O mato-grossense Brenner, de 20 anos, marcou os gols do líder e divide a artilharia do time, com 12 gols, com Luciano.

SENHOR LÍDER – O São Paulo é o que se pode chamar de senhor líder. Além da diferença nos pontos, tem mais vitórias; ataque mais positivo; mais que o dobro no saldo de gols; é o que menos perdeu, e tem a segunda defesa menos vazada, por diferença de 1 gol (a do Grêmio sofreu 21). Líder com 56 pontos em 27 jogos – 16 vitórias, 3 derrotas, 8 empates, saldo de 25 gols (47 a 22) -, o São Paulo só volta ao Brasileiro dia 6 de janeiro, como visitante, no jogo com o Bragantino.

FUTEBOL POBRE – Bem visível o declínio do Fluminense desde a saída do técnico Odair Hellmann, que tantos pediram, usando as redes sociais, que fosse demitido. Depois de 11 dias em treinamento sob a orientação de Marcão, esperava-se muito mais que o futebol pobre, lento e sem criatividade da noite de ontem (26) no Maracanã. O time não consegue uma única jogada, capaz de mostrar que é resultado do treino. O gol, em lance isolado de Fred, com chute de fora da área, deixou bem claro.

MAIS DOIS – O atacante Brenner voltou a se destacar no Maracanã, em 2020, ao marcar mais dois gols, depois de ter feito três no Flamengo. Ele aproveitou bem o cruzamento rasteiro do lateral Reinaldo para fazer 1 x 0, aos 15 minutos, e o da vitória aos 27, depois que o goleiro rebateu seu chute e o de Pablo. Vale dizer: Brenner, natural de Cuiabá, capital do Mato Grosso, teve passagem curta e sem brilho pelo Fluminense em 2019, sem gol em seis jogos, durante o período de empréstimo.

CARTÕES – O árbitro gaúcho Anderson Luis Daronco só aplicou um cartão amarelo no primeiro tempo, aos 41 minutos, no volante Yuri Lima, do Fluminense, por uma sola no lateral Igor Vinicius. No segundo tempo, outros dois do Fluminense advertidos: Nino, aos 31, por falta em Brenner, e Danilo Barcelos, aos 38, por falta em Daniel Alves. Por falta em Yago Felipe, aos 18, o volante Luan foi o único advertido do São Paulo e está suspenso do próximo jogo, dia 6, com o Bragantino.

TIAGO VOLPI, Igor Vinícius, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Luan (Rodrigo Nestor), Daniel Alves, Gabriel Sara (Toró) e Igor Gomes (Vitor Bueno); Luciano (Pablo) e Brenner (Hernanes). O técnico Fernando Diniz disse que “os jogadores têm sabido dosar a recuperação, com repouso e boa alimentação”. Diniz poupou apenas o lateral espanhol Juanfran, de 35 anos, a fim de evitar o desgaste muscular, e ele volta no jogo com o Grêmio, quarta (30), no Morumbi, valendo a vaga na final da Copa do Brasil.

FLUMINENSE – Marcos Felipe, Calegari, Nino, Mateus Ferraz e Danilo Barcelos; Yuri Lima (Miguel), Yago Felipe e Michel Araújo (Felipe Cardoso); Welington Silva (Caio Paulista), Fred e Marcos Paulo (Lucca). Sétimo com 40 pontos em 27 jogos – 11 vitórias, 9 derrotas, 7 empates, saldo de 6 gols (37 a 31) -, o Fluminense pode terminar a rodada em oitavo, se o Santos, com 38 pontos, vencer o Ceará, na noite de hoje (27), na Vila Belmiro.

DIFERENÇA – Desde que Marcão assumiu, o Fluminense cedeu o empate (1 x 1) ao Vasco, no último lance do jogo, em São Januário, perdeu (2 x 1) do Atlético, em Goiânia, só conseguindo fazer o gol nos acréscimos, e sofreu a segunda derrota consecutiva para o São Paulo. Nos últimos três jogos com Odair Hellmann, o time ganhou de virada (2 x 1) do Internacional, em Porto Alegre, e no Maracanã, 0 x 0 com o Bragantino, e outra virada (3 x 1), no Athletico Paranaense.

640 GOLS – Com os seis gols nos quatro jogos da noite de ontem (26), na abertura da rodada 27, a média de gols do Brasileiro 2020 permanece estável em 2.44 gols por jogo, com 640 gols marcados em 262 jogos. O São Paulo voltou a ter o ataque mais positivo, com 47, com mais 1 gol que Atlético Mineiro e Flamengo.

Foto: Twitter