Depois da classificação do Grêmio, Athletico Paranaense, Palmeiras e Flamengo, o São Paulo – três vezes campeão, três vezes vice-campeão, dez vezes entre os maiores participantes, sendo sete consecutivas -, foi o primeiro brasileiro eliminado na fase de grupos da Libertadores, ao perder (2 x 1) para o River Plate, que soube se impor desde o início e decidiu o jogo ainda no primeiro tempo, na noite de ontem (30), no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires.

TALENTO JOVEM – Julian Alvarez  marcou os dois gols do River Plate, que conseguiu mantê-lo após um trabalho psicológico do técnico Marcelo Gallardo, que o convenceu a desistir de sair para o arquirrival Boca Juniors e para o todo-poderoso Real Madrid, com oferta de balançar os alicerces. O jovem destro de 20 anos, campeão da Libertadores aos 18, destaque da seleção sub-20 no Sul-Americano e Mundial de 2019, nasceu em Cachi, cidade de 2.280 metros de altitude e de apenas 8 mil habitantes, no Norte argentino, com uma paisagem deslumbrante, rodeada pelas belas montanhas da Cordilheira dos Andes.

RITMO INTENSO – O River Plate entrou determinado a decidir, imprimindo ritmo intenso, e logo aos 11 minutos, Julian Alvarez fez 1 x 0, com um toque de alta categoria na saída do goleiro do São Paulo. O empate foi aos 26, com o zagueiro Diego Costa, em boa impulsão, completando de cabeça o escanteio do lateral Reinaldo. Mas, em contra-ataque rapidíssimo, o River chegou ao segundo gol, que Julian Alvarez marcou aos 37, com boa assistência de Matias Suarez. 2 x 1 foi mantido até o final.

RIVER SEGUNDO – O River Plate ficou com o segundo lugar do Grupo D, com 10 pontos – 3 vitórias, 1 empate, 1 derrota, saldo de 12 gols (18 a 6) –, com a LDU – Liga Deportiva Universitária, do Equador – em primeiro, com 12 pontos – 4 vitórias, 1 derrota, saldo de 7 gols (12 a 5) -, ao golear (4 x 0) na noite anterior, o peruano Binacional, só com uma vitória e quatro derrotas, último colocado. O São Paulo, terceiro, eliminado com 4 pontos – 1 vitória, 1 empate, 3 derrotas – e saldo de menos um gol (9 a 10).

Foto: Folha UOL

RIVER – Franco Armani, Montiel, Martin Quarta, Javier Pinola e Casco; Enzo Perez (Ponzio), De la Cruz, Ignacio Fernandez (Cristian Ferreira) e Julian Alvarez (Paulo Diaz); Matias Suarez e Borré (Lucas Pratto). Técnico – Marcelo Gallardo, tratado carinhosamente pelos torcedores do River como El Muñeco (O Boneco). 

SÃO PAULO – Tiago Volpi, Juanfran, Diego Costa, Leo e Reinaldo; Tchê Tchê (Toró), Daniel Alves, Hernanes (Brenner) e Vitor Bueno (Paulinho Boia); Igor Gomes e Pablo (Trellez). Técnico – Fernando Diniz.

SEIS CARTÕES – Arbitragem segura de Cristian Garay, da Federação do Chile, que advertiu com cartão amarelo Daniel Alves, Diego, Vitor Bueno e Juanfran, e os argentinos Enzo Perez e Matias Suarez.