Bicampeão em 92-93, quando também foi bicampeão mundial de clubes, dirigido por Telê Santana, e campeão em 2005, treinado por Muricy Ramalho, o São Paulo estreia hoje (20) com o Sporting Cristal, 18 vezes campeão peruano e líder do atual campeonato, no Estádio Nacional de Lima, querendo ser o recordista brasileiro de títulos da Libertadores, objetivo compartilhado pelo Santos. O São Paulo esteve em outras três decisões e foi vice-campeão em 1974, 1994 e 2006. Cristal x São Paulo será apitado por Andrés Cunha, de 44 anos, da Associação Uruguaia.

JOGO INÉDITO – Cristal e São Paulo farão hoje (20) um jogo inédito pela Libertadores, na quinta vez em que se enfrentarão. Os dois primeiros jogos foram amistosos em Lima, e o São Paulo venceu por 4 x 2, em 1959, e por 3 x 1, em 1963. Trinta e um anos depois, voltaram a se enfrentar, no Morumbi, em 1994, pela Copa Conmebol, criada em 1992 e extinta em 1999. O São Paulo ganhou (3 x 1), e o segundo jogo, 0 x 0. Foi o primeiro título de Muricy Ramalho, ao vencer o Peñarol do Uruguai na decisão.

190 JOGOS – Depois do recordista Grêmio, com 207 jogos, e do Palmeiras, com 197, o São Paulo é o terceiro brasileiro com mais jogos na Libertadores, ao completar 190 na noite desta terça (20), na capital peruana. Em 189 jogos, o São Paulo venceu 92, empatou 44 e perdeu 53, com 193 gols marcados e 184 sofridos, o que lhe dá o apreciável saldo de 109 gols. Bom dizer: os artilheiros do São Paulo na Libertadores, com 14 gols, são Luis Fabiano e Rogerio Ceni, que é também recordista de jogos (90).

FAVORITOS – São Paulo e Racing, que estreia amanhã (21) com o uruguaio Rentistas, no estádio Centenário, em Montevidéu, são favoritos do Grupo E. Dezoito vezes campeão argentino e campeão da Libertadores e do Mundial de clubes em 1967, o Racing eliminou o Flamengo nas oitavas de final no Maracanã e foi eliminado nas quartas de final de 2020 pelo Boca. O Club Atletico Rentistas, de 88 anos, lanterna do atual campeonato uruguaio com 16 times, é estreante na Libertadores.

PROIBIDO – Na véspera da estreia, os jogadores do São Paulo foram proibidos de deixar o hotel e tiveram que improvisar o treino no salão de festas, devido às restrições impostas pelas autoridades sanitárias do governo do presidente Francisco Rafael Sagasti, de 76 anos, engenheiro, escritor e da Academia de Letras do Peru. A ideia era a de fazer o reconhecimento do gramado do Estádio Nacional de Lima ou então treinar no CT da seleção peruana, em La Videna, mas a delegação foi informada de que só pode sair do hotel para o jogo, e para o aeroporto.

CONFIANÇA – O São Paulo estreará muito motivado, após quatro vitórias consecutivas em uma semana no Campeonato Paulista, a última sobre o Palmeiras (1 x 0). O experiente Daniel Alves, de 37 anos, que jogará como ala, no esquema com três zagueiros, disse que “nosso time ganhou muita confiança com o Crespo, técnico de fala simples e métodos objetivos”. Daniel usou sua conta no Instagram para criticar a criação da Superliga europeia: “Vai acabar com o sonho das equipes menores”.

EXPERIENTE – O Sporting Cristal é treinado pelo ex-atacante Roberto Mosquera, de 64 anos, bicampeão em 79-80 e técnico campeão em 2012. Nascido em Ibagué, considerada a capital musical da Colômbia, ele se naturalizou peruano para disputar a Copa do Mundo de 1978 na Argentina, onde a seleção, com atuação suspeita, entregou o jogo, goleada por 6 x 0, resultado que os argentinos precisavam e que ao mesmo tempo eliminava o Brasil da fase final. 

BEM LEMBRADO – Criador da folha-seca, como batizou o gol de falta do 1 x 0 sobre o Peru, que classificou o Brasil para a Copa do Mundo de 1958, no domingo, 21 de abril de 1957, diante de 121 mil torcedores no Maracanã, o ex-meia Didi – 1928 – 2001 – ainda é bem lembrado pelos torcedores peruanos mais antigos. Ele jogou e foi técnico do Cristal em 63 e voltou em 67, sendo bicampeão 67-68, e dirigiu a seleção na Copa de 70, eliminada (4 x 2) pelo Brasil nas quartas de final em Guadalajara. Depois de Didi, outro brasileiro foi técnico da seleção peruana: Tim, na Copa de 82 na Espanha.