O Botafogo sofreu a segunda derrota consecutiva no Brasileiro da Série B, ontem (26), por 2 x 0 para o Sampaio Corrêa, no estádio Castelão, em São Luis, e pode ser ultrapassado pelo Vasco, em caso de vitória sobre o Brusque, na noite de hoje (27), em São Januário. Os gols foram do meia paulista Daniel Costa, convertendo pênalti que Ronald cometeu com o braço, aos 27 do primeiro tempo, e do meia paraense Gui Campana nos acréscimos do segundo tempo, aos 49.

PREJUDICADO – O árbitro Jean Pierre Lima, da Federação Gaúcha, prejudicou o Botafogo quando estava 1 x 0, ao não validar o gol do atacante Ronald, aos 9 minutos do segundo tempo. Após o escanteio, Ronald aproveitou o rebote da cabeçada de Rafael Navarro, e o goleiro Mota defendeu, depois que a bola transpôs a linha do gol. A decisão do árbitro, com certeza, teria sido a de confirmar o gol, caso contasse com a ajuda do VAR.

SEM MERECER – Mesmo prejudicado pelo erro do árbitro, o Botafogo não fez por merecer nem mesmo o empate. Foi a pior de suas seis atuações, na derrota derrota como visitante, após perder a invencibilidade para o líder Náutico (3 x 1), no jogo anterior, no Recife. O Botafogo ainda não venceu em quatro jogos fora de casa: 1 x 1 com o Vila Nova, 2 x 2 com o Londrina, e as derrotas para o Náutico (3 x 1) e o Sampaio Corrêa (2 x 0), que o venceu pela primeira vez em seis jogos.

DOUGLAS BORGES, Warley, Gilvan, Kanu e Guilherme Santos (Daniel Borges); Luis Oyama, Pedro Castro (Ricardo), Marco Antonio (Rafael Moura) e Chay (Diego Gonçalves); Ronald (Felipe Ferreira) e Rafael Navarro – o Botafogo, do técnico baiano Marcelo Chamusca, com 8 pontos em 6 jogos – 2 vitórias, 2 empates, 2 derrotas, saldo de 1 gol (9 a 8) -, que na próxima rodada jogará no Rio com o Vitória, que na noite de ontem (26), em Salvador, levou a virada do Londrina (2 x 1).

NOME E CORES – O nome do maior campeão do futebol maranhense, com 55 títulos, é em homenagem ao hidroavião Sampaio Corrêa, que amerrissou em São Luis, capital do estado, em dezembro de 1922, pilotado pelo brasileiro Pinto Martins e pelo americano Walter Hinton, na primeira viagem entre as Américas, iniciada nos Estados Unidos. O clube foi fundado no ano seguinte, em 25 de março de 1923.

BOLIVIANOS – As cores do Sampaio Corrêa F.C., em listras verticais – vermelha, amarela e verde -, foram escolhidas para a camisa do clube, por coincidirem com as cores do uniforme do piloto Pinto Martins. O Sampaio Corrêa é tratado como boliviano porque vermelha, amarela e verde são as cores da Bandeira Nacional da Bolívia, La Tricolor, como a chamam os bolivianos.

LÍDER TROPEÇA – Depois de perder os 100% de aproveitamento no 0 x 0 da última terça (22) com o Londrina, no Paraná, o Náutico sofreu o segundo tropeço consecutivo, no 1 x 1 da noite de ontem (26) com o Remo, no estádio dos Aflitos, no Recife, e viu a vantagem sobre o vice-líder Coritiba diminuir para quatro pontos (17 a 13). O Sampaio Corrêa subiu ao quarto lugar, igual ao Goiás, terceiro, em pontos (12), vitórias (3), empates (3), derrota (1), mas é superado no saldo de gols (5 a 4). O Goiás marcou 8 e sofreu 3; o Sampaio Corrêa fez 6 e sofreu 2.

Fotos: UOL Esportes / Fogão Net / Jornal do Brasil / Reprodução/Premiere / Superesportes / Jornal Pequeno