Escolha uma Página

INTER E MILAN voltam a disputar uma semifinal italiana depois de dois empates em 2002-2003 (0 x 0 e 1 x 1), em que o Milan foi à final pelo gol marcado como visitante, embora os jogos tenham sido disputados no estádio de San Siro. Mas, no segundo jogo, o mando de campo era do Milan, que foi à final da Liga dos Campeões de 2002-2003, a segunda entre equipes do mesmo país, com a Juventus de Turim, e venceu por 3 x 2 nos pênaltis, após 0 x 0 nos 90 minutos, no estádio Old Trafford, do Manchester United.

BOM LEMBRAR: o último pênalti, que deu o título ao Milan, então dirigido por Carlo Ancelotti, atual técnico do Real Madrid, foi convertido pelo lateral-esquerdo Serginho, então aos 32 anos, natural de Nilópolis, RJ. Ele iniciou no Itaperuna, foi campeão no Bahia, passou pelo Flamengo, Cruzeiro, São Paulo e encerrou no Milan, com 280 jogos e 25 gols, entre 1999 e 2008. Sergio Claudio dos Santos, o Serginho, hoje aos 51 anos, foi consultor de mercado do Milan.

O CLÁSSICO DE MILÃO, um dos de mais rivalidade no mundo, é também tratado como Derby de la Madonnina, uma referência à famosa estátua de bronze da Virgem Maria, na Catedral de Milão, visitada por mais de 40 milhões de turistas por ano. Inter e Milan têm 19 títulos de campeões italianos e só são superados pelos 36 da Juventus de Turim. Nos quatro jogos da Liga dos Campeões, duas vitórias do Milan e dois empates.

MILAN E INTER compartilham o estádio de Milão, que tem dois nomes: San Siro, bairro do Noroeste da cidade, quando o jogo é do Milan, e Giuseppe Meazza, quando o mando de campo é da Inter. Meazza foi da seleção italiana, primeira bicampeã do mundo (1934-1938), e jogou mais na Inter – 408 jogos, 284 gols – do que no Milan – 42 jogos, 11 gols – e a Inter o reverencia como seu maior jogador, e do futebol italiano, de todos os tempos.

O PRIMEIRO JOGO, dia 9 de maio, será com o mando de campo do Milan, e o segundo, dia 16, com o mando de campo da Inter. Desnecessário dizer que as semifinais entre os arquirrivais de sempre começam a ser vividas desde a noite desta 4ª feira (19), após a Inter eliminar o Benfica, e um dia depois de o visitante Milan eliminar o Napoli.

NO EMPATE DA NOITE desta 4ª feira (19), Nicolò Barella fez 1 x 0 Inter e o norueguês Aursnes empatou de cabeça. No 2º tempo, os argentinos Lautaro Martinez e Joaquin Correa ampliaram a vantagem da Inter, o zagueiro Antonio Silva e o atacante croata Petar Musa, já nos acréscimos, aos 49 minutos, evitaram a derrota do Benfica, que teve dois brasileiros em campo, o lateral carioca Gilberto, ex-Fluminense, e o atacante paulista David Neres.