Escolha uma Página

Não foi de virada, mas o Manchester City repetiu os 2 x 1 do jogo de ida e eliminou o Real Madrid, recordista com 13 títulos da Liga dos Campeões, na noite desta sexta (7) no Etihad Stadium, no Noroeste da Inglaterra, e disputará as quartas de final com o Lyon, que eliminou a Juventus, pelo gol fora de casa, mesmo perdendo (2 x 1), no Allianz Stadium, em Turim. O paulistano Gabriel Jesus foi o destaque, com um gol e uma assistência, em seu melhor dos 153 jogos no City, desde janeiro de 2017.

DECIDIDO – O City podia perder por um gol, mas entrou decidido a ganhar e fez 1 x 0 logo aos 9 minutos, com o inglês Raheem Sterling, com assistência de Gabriel Jesus, que se antecipou ao zagueiro francês Raphael Varane. Foi o gol 100 de Sterling com a camisa do City. O francês Benzema empatou de cabeça aos 28, após linda jogada do ex-santista Rodrygo, que cruzou da linha de fundo. Gabriel Jesus fez o da vitória, aos 23 do segundo tempo, aproveitando outra falha de Varane, em bola muito mal atrasada.

IGUALOU – Gabriel Jesus tornou-se o segundo a fazer gol no Real Madrid, em jogos de ida e volta da Champions, o que só o holandês Ruud van Nistelrooy, pelo Manchester United – 219 jogos, 150 gols, entre 2001 e 2006 -, havia conseguido em 2002-03. Outro grande feito de Gabriel Jesus, na classificação desta sexta (7) do Manchester City, foi o de ter igualado os 14 gols que Ronaldo Fenômeno e Adriano marcaram na Champions. Gabriel é o artilheiro do City com 23 gols e 10 assistências em 2019-20.

INÉDITA – A atuação destacada de Gabriel Jesus e o esquema ofensivo de Josep Guardiola foram decisivos para eliminar o técnico Zinèdine Zidane, pela primeira vez, de uma fase eliminatória da Champions, após nove participações. Zidane é o único treinador três vezes consecutivas campeão do maior torneio de clubes do mundo. Bom lembrar: Gabriel Jesus, de 23 anos, 1,75m, nasceu no bairro do Limão, Zona Norte de São Paulo, e saiu do Palmeiras para o City, após 28 gols em 83 jogos, entre 2015 e 2016. Quando pode, ele desfila na Mocidade Alegre, escola de samba do bairro, 10 vezes campeã do Carnaval paulista. 

SÓ ELOGIO – Guardiola foi só elogio a Gabriel Jesus: “Tanto no primeiro jogo em Madrid quanto no segundo, aqui em Manchester, Gabriel Jesus foi o melhor do time nessa fase eliminatória, e não só pelos gols, mas, muito mais, pela participação efetiva, empenhado do início ao fim”. Depois de elogiar a equipe por ter eliminado o maior campeão da Liga, Gabriel Jesus fez questão de citar seu ídolo: “Trabalho duro todos os dias para ser igual ao Ronaldo Fenômeno, meu ídolo”.

CRÍTICAS – O jornal Marca destacou em sua edição online: “O Real Madrid perdeu a alma sem seu capitão e líder Sergio Ramos. Mesmo do lado de fora, Ramos fez muito mais pelo time do que a maioria dos que estavam em campo”. Bom dizer: Sergio Ramos, suspenso pela expulsão no jogo em Madrid, tem 34 anos (30/3/86), e é o zagueiro com mais gols (97, em 650 jogos) desde 2005. O zagueiro Varane não escapou: “Foi desastroso. Suas falhas levaram o time à eliminação” – ressaltou o jornal.

UM CARTÃO – City 2 x 1 Real Madrid, com elevado nível disciplinar, só teve 11 faltas marcadas (8 do City) e um cartão amarelo, o do meia croata Luka Modric, do Real Madrid, por falta no meia belga Kevin De Bruyne, aos 23 do segundo tempo, no grande círculo. Quatro dias após completar 45 anos, o árbitro alemão Felix Brych, nascido em 3 de agosto de 75, em Munique, onde é advogado, teve atuação muito segura. Ele apita na Bundesliga desde 2004, na FIFA em 2007 e atuou em duas Copas do Mundo.

CITY – Ederson, Walker, Fernandinho, Laporte e João Cancelo; Gundogan, De Bruyne e Rodri (Otamendi); Foden (Bernardo Silva), Gabriel Jesus e Sterling (David Silva). Técnico – Josep Guardiola. O site FiveThirtyEight revela que o City, com 52% de chances de chegar à final, é o maior favorito ao título da Champions 2019-2020, que será decidida dia 23, no estádio da Luz, em Lisboa. O percentual do site atribui 37% ao time de Guardiola; 21% ao Bayern Munique; 14% ao PSG e só 8% ao Barcelona.

REAL MADRID – Courtois, Carvajal, Varane, Eder Militão e Mendy; Casemiro, Modric (Valverde) e Kroos; Eden Hazard (Jovic), Benzema e Rodrygo (Asensio, 17 do segundo tempo). O lateral Marcelo assistiu das cadeiras, perto de Sergio Ramos, e Vinícius Junior não saiu do banco de reservas. O Real Madrid desprezou seu tradicional uniforme branco (o City jogou de azul), não usou o segundo uniforme (verde), e se apresentou com um estranhíssimo rosa-choque, pré-lançamento para a temporada 2020-2021.

Foto: UOL, Trivela, site oficial do Real Mardrid e Facebook do ManCity.