LÍDER DO RANKING DA FIFA, O BRASIL deu um show e goleou a Tunísia por 5 x 1, no último amistoso antes da estreia na Copa do Mundo, dia 24 de novembro com a Sérvia, na noite desta última 3ª feira (27) de setembro, no Parque dos Príncipes, em Paris. A maioria dos analistas europeus reforça o favoritismo do Brasil ao 6º título.

NEM MESMO O FATO DE A TUNÍSIA, 36ª do ranking da Fifa e 5ª entre as africanas, ter jogado o 2º tempo com 10, pela justa expulsão do zagueiro Dylan Bronn, que deu um pontapé em Neymar aos 42 minutos, diminui o brilho da goleada. O Brasil respondeu ao gol de empate em dois minutos e já saiu para o intervalo com 4 x 1.

NA ERA TITE, A SELEÇÃO tem se mantido fiel ao futebol ofensivo, com a média de quatro gols em cinco de seus oito jogos mais recentes. Com razão, o técnico tem extravasado, como se viu ao comemorar os cinco gols do amistoso com a Tunísia. Foi a 56ª vitória de Tite, em 76 jogos, desde que assumiu em 20 de junho de 2016.

TITE É O 4º EM NÚMERO de jogos, depois de Zagallo, 90 vitórias em 126; Parreira, 61 vitórias em 112, e Dunga, 59 vitórias em 85. Tite realiza campanha meritória, com 56 vitórias em 76 jogos, 14 empates e só 5 derrotas, e é justo que se torne o terceiro com a seleção em duas Copas consecutivas, tal qual Zagallo e Telê Santana.

RAPHINHA, entre os com vaga certa, usou bem a cabeça para encobrir o goleiro Dahmen, após lançamento de Casemiro aos 11 minutos. O zagueiro Talbi também teve mérito ao subir e empatar de cabeça aos 18, após cobrança de falta, mas o Brasil respondeu rápido, com o 17º gol de Richarlison, outro vaga certa, em 38 jogos.

O ÁRBITRO VIU BEM o meia Laudouni segurar Casemiro e marcou o pênalti, que Neymar converteu em seu 75º gol, aos 29. Raphinia fez 4 x 1 aos 40, finalizando rasteiro da entrada da área, e a bola ainda tocou no pé da trave esquerda. Pedro substituiu Richarlison no intervalo e fechou a goleada, de sem-pulo, aos 29 minutos.

35 MIL TUNISINOS, parte da segunda maior colônia africana em Paris, destoaram dos outros 13 mil torcedores no Parque dos Príncipes, que recebeu 48 mil pagantes. Usaram termos racistas para ofender os jogadores brasileiros e atiraram uma banana em Richarlison, quando o atacante foi comemorar o gol na lateral do campo.

O ÁRBITRO FRANCÊS Ruddy Buquet, de 45 anos, há 11 na Fifa, soube controlar o antijogo dos tunisinos. Buquet foi correto, tanto na expulsão do zagueiro Talbi, do Lorient, 3º do Campeonato Francês, pela falta grosseira em Neymar, quanto nos cartões amarelos em Richarlison e Neymar, e no atacante Msakni. 

ALISSON, Danilo, Marquinhos (Ibañez), Thiago Silva (c) e Alex Telles (Renan Lodi); Casemiro, Fred (Rodrygo), Paquetá (Vinicius Jr) e Raphinha (Antony); Neymar e Richarlison (Pedro), a seleção do último amistoso antes da Copa. Tite faz dia 7 de novembro o anúncio dos 26 que irão ao Catar, sem que se possa esperar surpresa.

Fotos: CBF / L’Équipe