A pedido da FIFA, será respeitado um minuto de silêncio, em todos os jogos deste último fim de semana de novembro, em homenagem a Maradona, um dos símbolos da história do futebol mundial. O Napoli, único clube italiano em que ele jogou, já o havia homenageado, no próprio dia de sua morte (quarta, 25), com o nome e o número 10, na camisa de todos os jogadores, ao entrarem em campo, no estádio San Paolo, antes da vitória (2 x 0) sobre o Rijeka, da Croácia, pela Liga Europa.

ENQUANTO prepara a mudança do nome do seu estádio San Paolo, inaugurado em 6 de dezembro de 1959, aprovada pelo prefeito Luigi de Magistris, napolitano de 53 anos, para estádio Diego Maradona, o Napoli fará novas homenagens ao seu eterno campeão, antes do jogo de amanhã (29) com a Roma, terceira colocada com 17 pontos, a três do líder Milan, que receberá a Fiorentina em fase adversa, em décimo quinto, com duas vitórias, dois empates e quatro derrotas.

LÍDER COM 20 pontos – 6 vitórias, 2 empates, saldo de 11 gols (19 a 8) -, o Milan, do técnico Stefano Pioli, de 55 anos, natural de Parma, é um dos três invictos, junto com o vice-líder Sassuolo, com 18 pontos – 5 vitórias, 3 empates, saldo de 11 gols (20 a 9) -, e com a Juventus, vencedora dos últimos nove campeonatos, em quarto com 16 pontos – 4 vitórias, 4 empates, saldo de 11 gols (17 a 6) -, só um ponto atrás da Roma, em terceiro com 17. O Campeonato Italiano começa a esquentar suas turbinas.

TRIO DE PESO – Os principais artilheiros do Italiano 2020-2021 marcaram dois gols nos jogos da última rodada. Ibrahimovic, de 39 anos, que admitiu voltar à seleção da Suécia, deixando o técnico Jan Andersson, de 58 anos, superfeliz, é o artilheiro com 10, mas tem no encalço dois que também conhecem bem o caminho do gol: o notável português Cristiano Ronaldo, de 35 anos, da Juve, com 8, e o belga Romelu Lukaku, de 27 anos, da Inter, com 7. Um trio de peso pela artilharia na Itália.

BRASILEIROS – O lateral-esquerdo mato-grossense Rogerio, de 22 anos, e o zagueiro Marlon, de 25 anos, nascido em Duque de Caxias, RJ, são os brasileiros do Sassuolo, vice-líder invicto – 5 vitórias, 3 empates -, que neste sábado (28) passará por seu teste mais difícil no jogo com a Inter. Sassuolo é uma cidade da Emília-Romanha, região Norte, a 325 km da capital Roma, e o clube usa o Città del Tricolore, de Regio Emília, porque seu estádio Enzo Ricci não tem condições para jogos da Série A.

 Foto: RONALDO SCHEMIDT / AFP, Esporte R7, Oswaldo Bertolino, Mippci, TVI24, O Fluminense, G1