Depois do 0 x 0 da noite de ontem (6) no estádio da Bombonera, em Buenos Aires, o Santos terá que ganhar do Boca Juniors na próxima quarta (13), na Vila Belmiro, para disputar a grande final da Libertadores 2020, dia 30, no Maracanã, com Palmeiras ou River Plate. O Boca terá a vantagem do empate com gol e só outro 0 x 0 levará a decisão aos pênaltis. O empate sem gol no jogo de ida foi justo, embora o Santos reclame de um pênalti do zagueiro Izquierdoz em Marinho, que, a meu juízo, não houve.

QUASE NULO – O Boca exerceu boa e forte marcação, principalmente sobre Marinho, tornando quase nulo o desempenho do artilheiro do time no Campeonato Brasileiro. Os times criaram pouco e a melhor chance do primeiro tempo foi a do meia colombiano Sebastian Villa, de 24 anos, ao acertar o travessão do Santos logo aos 10 minutos. Com dois empates e quatro vitórias, o Santos terminou a Libertadores 2020 sem derrota como visitante.

O LANCE – Foi aos 29 minutos do segundo tempo o lance em que o zagueiro Izquierdoz e o atacante Marinho disputaram a bola na área do Boca. Marinho caiu, mas o árbitro Roberto Tobar, da Federação Chilena, com muita convicção, sequer foi à lateral do campo para rever a jogada na tela do árbitro de video. Nenhum jogador do Santos endossou a reclamação de Marinho, o que deixou bem claro que não houve pênalti. Revi o lance algumas vezes e também não vi pênalti.

BOCA – Andrada, Jara, Lisandro Lopez, Izquierdoz e Fabra; Capaldo, Diego Gonzalez (Cardona), Sebastian Villa e Salvio (Buffarini); Franco Soldano (Ramon Ábila) e Carlos Tevez. Técnico – Miguel Angel Russo. Em 19 semifinais, só menos uma que os recordistas River Plate e Peñarol, o Boca antecipou para sábado (9) o jogo do Campeonato Argentino com o Estudiantes. Em mata-mata com brasileiros, nos últimos três anos, o Boca foi eliminado pelo Athletico Paranaense, Palmeiras e Cruzeiro.

SANTOS – John, Pará, Lucas Veríssimo (Laercio), Luan Peres e Felipe Jonathan; Diego Pituca, Alison e Soteldo (Sandry); Marinho, Kaio Jorge (Madson) e Lucas Braga. Técnico – Cuca. Antes do jogo decisivo com o Boca, o Santos disputará o clássico da rodada 29 do Campeonato Brasileiro, domingo (10), com o São Paulo, que manteve a liderança, com 7 pontos de vantagem sobre Atlético Mineiro e Flamengo, mesmo perdendo (4 x 2), fora de casa, para o Bragantino, na noite de ontem (6).

UM CARTÃO – Boca 0 x 0 Santos registrou 11 faltas do Santos e 13 do Boca, que acertou menos 99 passes que o Santos (377 x 278). O único cartão amarelo aplicado pelo árbitro chileno Roberto Tobar foi no meia Sebastian Villa, do Boca, por falta no lateral-esquerdo Felipe Jonathan aos 40 minutos do segundo tempo.

Foto: TC Online