O Sporting de Lisboa, campeão português, tornou-se o segundo maior vencedor da Supertaça de Portugal, superando o Benfica em um título (9 a 8), ao vencer de virada por 2 x 1 o Sporting de Braga, campeão da Taça de Portugal, na volta parcial do público, após dezesseis meses, com 7.710 pagantes no estádio municipal de Aveiro, a 250 km de Lisboa. Ruben Amorim, lisboeta de 36 anos, tornou-se o sexto a ganhar a Supertaça de Portugal como jogador e técnico.

BRASILEIROS – O meia Fransérgio, de 30 anos, mato-grossense de Rondonópolis, ex-Athletico Paranaense e Ceará, fez o gol do Braga aos 20. Jovane Cabral, de 23 anos, ponta-esquerda nascido em Cabo Verde, empatou aos 29, com chute no ângulo, sem defesa para Matheus Magalhães, de 29 anos, 1,87m, goleiro nascido em Belo Horizonte e revelado no América Mineiro. Os outros brasileiros do Braga são o lateral paraense Raul Silva e o atacante maranhense Galeno.

DE TRIVELA – O gol da virada e do nono título de campeão da Supertaça de Portugal do Sporting foi do ponta-direita Pedro Gonçalves, de trivela, aos 43 minutos, sem que o placar fosse alterado quando os times voltaram do intervalo. Pedro Gonçalves, de 23 anos, será homenageado segunda-feira (2), em Vidago, município de Chaves, distrito de Vila Real, onde nasceu. Com atuação excepcional e pelo belíssimo gol, ele foi eleito o melhor da final da Supertaça.

CAMPEÕES – Antonio Adan, Gonçalo Inácio, Sebastian Coates (cap) e Zouhair Feddal; Ricardo Esgaio, João Palhinha, Matheus Nunes e Nuno Mendes; Pedro Gonçalves, Paulinho e Jovane Cabral – o Sporting, do quarto título do técnico Ruben Amorim, vencedor de duas Taças da Liga e do Campeonato Português 2020-21, que se igualou a Rui Barros, Manuel Fernandes, Sergio Conceição, técnico do Porto, Paulo Bento, técnico da seleção da Coreia do Sul, e Antonio Oliveira, técnico do Athletico Paranaense, como jogador e técnico campeão da Supertaça de Portugal.

NONA EM 11 – Foi a edição 43 da Supertaça de Portugal desde 1979 e o Sporting sagrou-se campeão pela nona vez em onze decisões, tornando-se a equipe mais eficiente da competição, embora o FC Porto seja o maior vencedor com 22 títulos. O técnico Ruben Amorim destacou que ao sofrer o gol logo aos 20 minutos, a equipe teve reação imediata: “O gol do Braga não nos assustou, pelo contrário: fez-nos bem. Estamos mais fortes que na temporada passada”.

ESTATISTICA – Das 18 finalizações do Sporting, 9 foram na direção do gol, e o time campeão teve mais posse de bola (53% a 47%), e precisão de 78% nos 464 passes, enquanto a do Braga foi de 71% em 415 passes. Das 30 faltas, o Braga cometeu 14; dos cinco escanteios, três a favor do Sporting, que teve três advertidos com cartão amarelo: João Palhinha, Pedro Gonçalves e o carioca Matheus Nunes, ex-padeiro, que iniciou a carreira em Portugal no Estoril Praia.

PRIMEIRA LIGA – Com muita expectativa dos torcedores, que terão volta gradativa aos estádios, o Campeonato Português de 2021-2022, tratado como Primeira Liga, será iniciado na próxima sexta (6), com o jogo isolado do campeão Sporting com o recém promovido Vizela, no estádio José Alvalade, em Lisboa. O vice-campeão Porto estreará domingo (8) com o Belenenses, no estádio do Dragão, e o Benfica, sábado (7), fora de casa, com o Moreirense. Quarta (4), o Benfica fará o primeiro jogo da terceira eliminatória da fase de grupos da Liga dos Campeões com o Spartak, em Moscou.

PRISÃO DOMICILIAR – Acusado dos crimes de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação ideológica e fraude fiscal, Luis Filipe Vieira, de 72 anos, no sexto mandato como presidente do Benfica, ficou detido após três dias de interrogatório na Operação Cartão Vermelho e depois passou a cumprir prisão domiciliar, de que se livrou ao entregar à justiça imóveis em nome de seu filho. Ele tenta se manter no cargo, mas a situação no clube continua complicada.

Foto: Carlos Costa/AFP e Fotos da página oficial do Sporting no Facebook