Em leilão promovido pela Oitava Vara do Tribunal Regional do Trabalho, o empresário sul-coreano Sung Un Song, presidente da Digitron da Amazônia, com sede em Manaus e filiais em nove cidades do interior do estado, arrematou por R$3.600 mil a sede do Atlético Rio Negro Clube, que promete recolocar na Série A do Campeonato Brasileiro: “Quero resgatar a história de um clube que é a própria história do futebol amazonense, com valores e conquistas que marcaram época”.

AÇÃO SOCIAL – Sung Un Song diz que a compra do Rio Negro representa mais uma ação social da Digitron, mas que sua empresa não terá envolvimento na gestão do clube, conforme já antecipou ao presidente Jefferson Oliveira, ex-atleta e professor de Educação Física. A Digitron é mantenedora da Fundação Matias Machline, o maior projeto Social de Educação do Brasil, no Distrito Industrial de Manaus, oferecendo milhares de bolsas de estudo: “Não damos o peixe, ensinamos a pescar” – diz Song.

HOMENAGEM – O nome do clube, fundado em 13/11/1913, é homenagem ao rio Negro, maior afluente do rio Amazonas, à margem esquerda da capital Manaus, onde nasci e vivi até os 18 anos. No pôr do sol, o encontro das águas preta do Rio Negro e barrenta do Solimões é um espetáculo maravilhoso, que só a Mãe Natureza pode oferecer. Belíssimo! Único! O rio Amazonas é o maior do mundo, em extensão (6.992 km) e em volume, despejando 10 mil m3 de água, por segundo, no oceano Atlântico.

BARRIGA PRETA – Com sua camisa branca e faixa horizontal preta, que lhe valeu o apelido de barriga preta, o Rio Negro foi 17 vezes campeão amazonense, com o histórico tetra de 87 a 90; participou de seis Copas do Brasil e de seis Brasileiros da Série A, tendo o artilheiro Silva Batuta como destaque em 1973. Outro artilheiro na história do Rio Negro é Roberto Dinamite, com dois gols, em participação especial no amistoso com o Flamengo (3 x 2), na tarde do domingo, 12/12/90, no estádio Vivaldo Lima.  

Foto: Lucas Silva

RIO-NAL – O clássico mais antigo do Norte, disputado pela primeira vez em 2 de março de 1914, no Bosque Municipal, criou as  maiores torcidas do futebol de Manaus, em tardes inesquecíveis no Parque Amazonense, que comecei a frequentar aos 10 anos. Rio Negro x Nacional passou a ser o Rio-Nal, depois que o notável jornalista Mario Filho, fundador e diretor do Jornal dos Sports, criou o Fla-Flu, em 1933, ano da implantação do profissionalismo no futebol carioca. Rio-Nal era de arrepiar.

A MAIS BELA – Dos salões de espelhos da suntuosa sede da Praça da Saudade, saiu a mais bela amazonense, Terezinha Morango, eleita em 1957 Miss Rio Negro, Miss Amazonas, e Miss Brasil, no desfile de 22 de junho, no Hotel Quitandinha, em Petrópolis. A mais bela do Norte foi a segunda no Miss Universo, em 19 de julho, em Long Beach, na Califórnia, igual com cinco pontos à peruana Gladys Zender, vencedora por um ponto, em item da semifinal, de acordo com a análise dos jurados.

SUNG UN SONG, sul-coreano, engenheiro eletrônico formado na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, inspirou-se em Bill Gates e Michael Dell: “Eles começaram no fundo do quintal e eu comecei na garagem”. A Digitron, única empresa no mundo licenciada para produzir placas-mãe com a marca Intel, tem elevado faturamento anual, com a produção mensal de mais de um milhão de placas-mãe. Que seja também feliz e vitoriosa na recriação do Atlético Rio Negro Clube.

Foto: Portal Marcos Santos