Ao anunciar Flamengo x Athletico Paranaense para 16 de fevereiro de 2020, a CBF não está apenas promovendo a primeira decisão do ano, com prêmio de R$5 milhões para o campeão e de R$2 milhões para o vice, mas também voltando os olhos para a Ásia, onde os clubes europeus abriram bem o mercado da bola, com retorno muito significativo.

VANTAGENS – Flamengo x Athletico, no terceiro domingo (16) de fevereiro, às 11 da manhã, em Brasília, corresponde ao horário do jantar na Ásia. As vantagens já obtidas pelos europeus vão além do que recebem pelas transmissões. O Barcelona, por exemplo, ganha 55 milhões de euros/ano da Rakuten, conglomerado tecnológico japonês, pelo patrocínio master da camisa.

ESTÁDIO – O Atlético de Madrid foi além e até conseguiu com o conglomerado chinês Wanda – faturamento anual de 40 bilhões de dólares -, construir um dos mais modernos estádios da Europa – 68.456 lugares -, que ganhou o nome da empresa, associado ao Metropolitano, primeiro nome, antes de se chamar estádio Vicente Calderon.

ASSIM FOI também com o Manchester City, que ergueu seu novo estádio, ao custo de 110 milhões de libras – moeda mais forte do mundo –, dando-lhe o nome de Etihad, pelo investimento da maior empresa aérea dos Emirados Árabes, que também tem o patrocínio master na camisa: Etihad Airways.

É O QUE O FLAMENGO está tentando viabilizar com a Qatar Airways, que cobrou preço simbólico pelo voo fretado para o Mundial de clubes, e em 2020 pode passar a ter sua marca no espaço nobre do manto sagrado, como dizem, com orgulho, os rubro-negros, quando se referem à camisa. O Flamengo receberia algo em torno de R$20 milhões/ano.

É POSSÍVEL que então surja a ideia para que um sonho antigo se torne realidade: o estádio. O Flamengo precisa de um estádio para chamar de seu. Isso tenho cobrado de vários presidentes, desde que cheguei de Manaus em 1958, sempre com a mesma pergunta: por que o Flamengo tem torcida e não tem estádio?

NÃO ME CONSTA nem há registro de que o Flamengo seja inferior ao São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Grêmio, Internacional, Athletico Paranaense, para citar apenas alguns dos que têm estádios próprios e bem modernos. O Flamengo precisa e deve fazer parte desse grupo. E sem deixar a torcida esperando por muito mais tempo.