Menos de 24 horas depois de eliminada das quartas de final da Liga dos Campeões pelo Lyon, a Juventus demitiu Maurizio Sarri, napolitano de 61 anos, o mais velho dos técnicos campeões italianos da Série A, e contratou neste sábado (8) seu ex-meia Andrea Pirlo, de 41 anos, recordista de gols de falta (28), um deles marcado no Maracanã, dia 16 de junho de 2013, na vitória (2 x 1) sobre o México, pela Copa das Confederações, ao completar 100 jogos pela seleção.

ALGUNS NOMES chegaram a ser cogitados, entre eles o de Zidane, técnico do Real Madrid, também eliminado na sexta (7) pelo Manchester City, e que também foi meia campeão italiano pela Juventus. O argentino Mauricio Pochettino, sem clube desde que saiu do londrino Tottenham, em novembro, e Massimiliano Allegri, que ganhou cinco dos oito títulos do clube, também foram lembrados, mas o tcheco Pavel Nedved, diretor executivo e também ex-meia da Juventus, optou por Andrea Pirlo.

BEM ESPECIAL – Andrea Pirlo faz parte do grupo de onze jogadores que vestiram a camisa dos três principais times italianos, durante a bem-sucedida carreira de 22 anos, entre 2005 e 2017. Formado na base do Brescia, Pirlo fez 40 jogos na Inter, que não o aproveitou bem, entre 98 e 2001. No Milan, até 2011, time em que mais atuou, marcou 86 gols em 501 jogos e foi bicampeão (2003-04 e 2010-11). Na Juventus, entre 2011 e 2015, 28 gols em 204 jogos e também bicampeão, 2011-12 e 2014-15

ANDREA PIRLO, novo técnico da Juventus, é muito querido em Turim. Ele voltou à Itália após encerrar a carreira no New York City FC, onde foi dirigido pelo espanhol Domènec Torrent, novo técnico do Flamengo, que estreia neste domingo (9) no Campeonato Brasileiro, mas não gostou muito da organização do futebol dos Estados Unidos: “Os clubes têm muito recurso, mas poucos projetos e menos ainda ideias para desenvolver”, disse ao lembrar que só fez cinco gols em 77 jogos. 

SELEÇÃO – Pirlo diz ter gostado muito de jogar com Ronaldo Fenômeno e o holandês Seedorf no Milan, ao ganhar dois títulos italianos e duas Champions. Na seleção, depois de cinco categorias de base, da sub-15 a sub-21, foi o único a participar de duas Olimpíadas. Com o técnico Marcelo Lippi, foi campeão do mundo em 2006, completando 119 jogos, com 13 gols, entre 2002 e 2015. Sobre a Juventus, espera os melhores resultados: “É um clube rico, organizado e não tenho dúvida de que me sairei bem”.

Foto: Twitter do Juventus e Goal.com