O TÉCNICO DORIVAL JUNIOR dirigia o Ceará no empate (2 x 2) da 6ª rodada com o Flamengo, no sábado, 15 de maio, na Arena Castelão, e quase quatro meses depois provou do próprio veneno, no 1 x 1 da 25ª rodada, neste primeiro domingo de setembro (4), no Maracanã. Um empate com amargo sabor de derrota.

O FLAMENGO COMEMOROU o tropeço do Palmeiras, mas não soube aproveitar a chance que ganhou do Bragantino, no empate em 2 x 2, para reduzir a cinco pontos a vantagem do líder. Assim, o Palmeiras continua sete pontos à frente do Flamengo (51 a 44), com boas chances de erguer a taça de campeão brasileiro.

O PRIMEIRO GOL DE JÔ com a camisa do Ceará foi um pesadelo para o Flamengo no último lance do 1º tempo, quando ele recebeu passe curto do colombiano Mendoza e finalizou rasteiro, de canhota, no canto esquerdo de Santos, aos 44 minutos. Só houve tempo para nova saída, e bateu apreensão no técnico do Flamengo.

MINUTOS APÓS PROVAR do próprio veneno, Dorival Junior fez o que até então não havia feito em nenhum de seus jogos, desde que assumiu na derrota (3 x 1) para o Internacional, em 11 de junho, na 11ª rodada: substituiu quatro no intervalo. Tirou Varela, Diego, Victor Hugo e Marinho e colocou Mateuzinho, Everton Ribeiro, Arturo Vidal e Pedro, mas o muito que o Flamengo conseguiu foi só se livrar da derrota.

GABRIEL EMPATOU aos 7 minutos, tornando-se, cinco dias após completar 26 anos, e em seu 200º jogo com a camisa do Flamengo, o mais novo a fazer 100 gols no Campeonato Brasileiro. O recorde era de Roberto Dinamite, aos 26 anos e 24 dias, que mantém o recorde de maior artilheiro do campeonato com 190 gols.

O GOL REPRESENTOU alento, o Flamengo teve tempo de virar o placar, ainda mais com o Ceará jogando com menos um, com a expulsão de Jô aos 16 minutos, mas o Ceará soube se fechar e o goleiro João Ricardo fez algumas daquelas defesas chamadas de impossíveis, segurando o 1 x 1 até o apito final.

GABRIEL SE ENCARREGOU de deslustrar o próprio feito, ao ser expulso por reclamação e isolar a bola. O atacante somou os 42 gols com a camisa do Santos aos 58 com a do Flamengo para os 100 no Brasileiro, tornando-se artilheiro do time na era dos pontos corridos com 57, depois de ser na Libertadores com 27.

FLAMENGO 1 x 1 CEARÁ registrou R$3.442.960,25. 59.612 pagantes (64.387 presentes). 31 faltas (19 do Ceará). 11 amarelos (7 do Ceará). 2 vermelhos (Jô e Gabriel). 7 chutes no gol (1 do Ceará). Posse de bola, uma das grandes mentiras do futebol: 63% do Flamengo, 37% do Ceará.

O ÁRBITRO mineiro Paulo Cesar Zanovelli, de 32 anos, acertou nas expulsões de Jô, aos 16 do 2º tempo, ao reclamar da não marcação de toque de Arturo Vidal, e de Gabriel, aos 44 do 2º tempo, após o 2º cartão amarelo, não só por nova reclamação, mas por isolar a bola.

FOI O 2º EMPATE do Flamengo em 12 jogos como mandante, depois de 8 vitórias, 6 sem sofrer gol, e duas derrotas, com 26 gols marcados e 6 sofridos. O Flamengo não empatava no Maracanã desde o 0 x 0 com o Palmeiras, no sábado, 20 de abril, pela 4ª rodada. Foi o 6º empate do Ceará como visitante, após 3 vitórias e 3 derrotas.

O FLAMENGO PODE perder a vice-liderança e terminar a 25ª rodada em 3º, se o Corinthians, com 42 pontos, vencer o Internacional. O líder Palmeiras tem mais 7 pontos (51 a 44); mais uma vitória que o Flamengo (14 a 13);  menos 5 derrotas (2 a 7); mais um gol (41 a 40); mais saldo de gols (23 a 19) e defesa menos vazada (18 a 21). Faltam 13 rodadas e o Campeonato Brasileiro termina dia 13 de novembro.

@marcelocortes_ e @gilvandesouza / CRF / Goal