Não foi o desembarque esperado pelos jornalistas portugueses no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, na manhã de hoje (24). O técnico Jorge Jesus, de 65 anos, com um pequeno carrinho de bagagem, protegido por um plástico vermelho, puxado pela mão direita; usando máscara azul e com o celular à mão esquerda, chegou à estação de passageiros de blazer escuro e camisa azul, visivelmente irritado, com a presença de repórteres.

“LARGUEM-ME. Nem respeitam as coisas. Deviam apanhar o vírus” – foi tudo o que o técnico do Flamengo disse aos jornalistas, que tentavam ouvi-lo sobre a permanência no Brasil ou a volta a Portugal. Um cinegrafista conseguiu chegar a menos de dois metros dele, o que o tornou ainda mais irritado. Não havia ninguém ligado a clube, nem pessoas de sua própria família foram vistas no desembarque, exatamente às 10 horas e 33 minutos da manhã de hoje (24).

NOVOS EXAMES – Apesar de prova e contraprova terem dado negativo, nos exames que fez por conta do Flamengo, o técnico será submetido a novos testes em clínica de Lisboa, embora os exames ainda não tenham sido marcados. Jorge Jesus manterá em Lisboa a quarentena que vinha cumprindo  no Rio e é possível que fique mais tranquilo ao retomar o contato com a família na capital portuguesa.

TUDO ADIADO – Sem se saber quando o futebol será reiniciado, está tudo adiado com relação à possível renovação do contrato, que só tem validade até maio. Uma coisa é certa: o técnico terá que baixar muito a pretensão de sete milhões de euros por um ano, o equivalente a R$3.300 mil, por mês, que o Flamengo já decidiu que não pagará. Os números ficariam ainda maiores porque o clube teria que arcar com o pagamento dos auxiliares do treinador.

Foto: A Bola