Escolha uma Página

ENTRE OS SEIS CAMPEÕES como jogador e técnico da história de 121 anos do Fluminense, Fernando Diniz pode ser o primeiro a ganhar dois títulos cariocas consecutivos, e a igualar Abel Braga, único três vezes campeão (2005, 2012, 2022).
Ex-meia, Fernando Diniz fez 7 gols em 107 jogos e foi campeão em 2002.

O PRIMEIRO A ENTRAR no grupo seleto foi Elba de Pádua Lima, que driblava mais rápido do que o próprio apelido, Tim. Meia duas vezes bicampeão – 37-38/40/41 -, foi técnico do time campeão de 64, do último título de Castilho e do primeiro de Carlos Alberto Torres. Tim orientava com botões e era chamado de estrategista.

O SEGUNDO, TELÊ, autor dos gols dos 2 x 0 da final de 51 com o Bangu, quando foi centroavante, substituindo Carlyle. Em 59, também com Zezé Moreira, seu espelho como técnico, foi o ponta campeão, criando muito para os gols do artilheiro Waldo. O sobrenome Santana foi acrescentado com o primeiro título de técnico, em 69.

CARLOS ALBERTO TORRES, campeão em 64, ficou cinco anos no Santos e voltou para ser campeão em 76 com a Máquina tricolor. Com a extraordinária liderança, que o levou a capitão da seleção do tri, foi o técnico do título carioca de 84, quando orientou o carrasco Assis a ocupar espaços estratégicos na área.

ROBERTINHO, talvez o menos lembrado, foi ponta-direita de 80, quando Nelsinho dirigiu a equipe mais jovem dos últimos títulos do clube. Voltou em 2002 como técnico e ganhou a primeira decisão entre capital e interior – 2 x 0 e 3 x 1 no Americano -, comandando o time que tinha Fernando Diniz no meio-campo.

ABEL BRAGA, formado na base do clube por Pinheiro, seu ídolo, fez parte do elenco campeão carioca de 71, 73 e 75, e foi técnico da segunda decisão entre capital e interior, com 3 x 4 e 3 x 1 no Volta Redonda, com Marcão, hoje na comissão técnica, como capitão. Abel Braga também os títulos cariocas de 2012 e 2022.

O FLUMINENSE abre as semifinais com o mando no Fla-Flu de sábado (9), marcado para as 21h30. Vasco x Nova Iguaçu, domingo, 18h30, com o mando do Vasco, que teve permissão de Flamengo e Fluminense, concessionários do estádio, para jogar no Maracanã. Flamengo, 1º, e Nova Iguaçu, 2º, com a vantagem de resultados iguais para serem finalistas.

Fotos: Mailson Santana/Fluminense – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS, Fluminense e Imortaisdofutebol