Com 2 x 0 fora de casa sobre o Villarreal, no estádio de La Cerâmica, o Atlético de Madrid manteve neste último domingo (28) de fevereiro a liderança do Campeonato Espanhol, com 58 pontos, cinco a mais que o vice-líder Barcelona, seu adversário do próximo domingo (7), no estádio Wanda Metropolitano, em Madrid. Ao completar 512 jogos, o técnico Diego Simeone igualou o recorde de 308 vitórias do lendário espanhol Luis Aragonés – 1938 – 2014 -, que dirigiu o time em 611 jogos (mais 99 jogos).

HISTÓRICO – Natural de Buenos Aires, Diego Simeone, de 50 anos, foi meia campeão espanhol em 95-96 no Atlético de Madrid; da Champions 97-98 na Inter de Milão e Italiano na Lazio de Roma 99-2000. Voltou ao Atlético em 2011, como técnico, após campeão argentino em 2006 no Estudiantes e em 2008 no River. No Atlético, campeão espanhol 2013-14 e da Liga Europa, Copa do Rei e Supercopa da Espanha. É um ídolo muito respeitado pelos colchoneros, como são chamados os torcedores do Atlético.

SUPERIORES – Os números de Diego Simeone são superiores aos de Luis Aragonés, que saiu do clube com 308 vitórias depois de 611 jogos, em que empatou 135 e perdeu 108, enquanto Simeone empatou 120 e só perdeu 84. Com Aragonés, o time fez 997 gols e sofreu 698, e com Simeone, marcou 851 e sofreu 378. Entre 64 e 74, Aragonés foi o maior artilheiro do Atlético, quatro vezes campeão como jogador e técnico em 52 anos de carreira, 17 como jogador e 35 como técnico.

ARTILHEIROS – O clássico do primeiro domingo (7) de março colocará em confronto os antigos companheiros Messi, artilheiro do atual campeonato com 18, e Suarez, vice-artilheiro com 16. O Atlético de Madrid, líder com 58 pontos em 25 rodadas, tem 18 vitórias e saldo de 31 gols (47 a 16), e o Barcelona, com 53 pontos, 16 vitórias e saldo de 33 gols (55 a 22), após 2 x 0 sobre o Sevilha, pode não ser vice-líder, se hoje (1), o Real Madrid, com 52 pontos e 16 vitórias, vencer em casa a Real Sociedad.

MANDOU CALAR – Nos 2 x 0 do Atlético de Madrid sobre o Villarreal, o meia-atacante português João Félix, de 21 anos, voltou ao time após o isolamento de duas semanas, devido à Covid-19, e ao marcar o segundo gol, fez sinal para o banco de reservas pedindo silêncio. Os observadores entenderam que a mensagem foi para o técnico Diego Simeone, que reagiu tranquilo: “Se foi, não há problema. Gosto de jogadores rebeldes, que reagem e não se mostram conformados”.

BRASILEIRO – O atacante Rodrygo, de 20 anos, que o Santos vendeu ao Real Madrid, em junho de 2018, por 45 milhões de euros (R$195 milhões), está no radar do Liverpool, por sugestão do técnico alemão Jurgen Klopp. Se a transação for feita pelos 50 milhões de euros que o Real Madrid quer, o Santos ganhará em torno de R$10 milhões como clube formador. No Real Madrid, sem tantas chances, Rodrygo fez 8 gols em 42 jogos, enquanto no Santos havia marcado 17 em 80 jogos.