QUATRO DIAS depois de estrear vencendo a Holanda por 3 x 0, em casa, o técnico Luis de la Fuente, ex-lateral de 61 anos, decidiu por oito mudanças na seleção da Espanha, que perdeu para a Escócia por 2 x 0, na noite desta 3ª (28), no Hampden Park, em Glasgow, pelas eliminatórias para a Eurocopa de seleções de 2024.

OS GOLS FORAM do meia Scott McTominay, de 26 anos, do Manchester United, único time de sua carreira, desde em 2002, quando iniciou na base, até se tornar profissional em 2017. Em 201 jogos, marcou 18 gols e só ganhou um título, o da Copa da Liga Inglesa de 2022-23.

OS ANALISTAS espanhóis não pouparam a seleção: “A Espanha foi vulgar e sem nenhuma solidez” – resumiu o diário Marca, principal jornal esportivo do país, que classificou a derrota como “dolorosa”. O Mundo Deportivo também foi objetivo: “O primeiro deslize da Espanha com De la Fuente chegou cedo demais”.

A ESCÓCIA comemorou não só a segunda vitória, depois de 3 x 0 sobre Chipre, mas os 100 anos do primeiro jogo de seleções, que disputou com a Inglaterra (0 x 0), sábado, 30 de novembro de 1872, dia de Santo André, padroeiro da Escócia. O jogo foi em campo de críquete, com quatro mil torcedores, em tarde chuvosa e fria.

JÁ NAQUELA ÉPOCA, a seleção da Escócia usava camisa azul-marinho com o leão no peito, e a seleção da Inglaterra, uniforme todo branco, com seus três leões, o que deu origem à música Three Lions (Três Leões), feita para refletir o sentimento dos torcedores. Símbolo importante, o leão representa bravura na cultura inglesa.

ESCÓCIA 2 x 0 ESPANHA, diante de 52 mil torcedores no Hampden Park, teve dois árbitros suíços. No intervalo, Sandro Scharer, de 34 anos, sentiu dores musculares na coxa e foi substituído por Lukas Fahndrich, de 38 anos, ambos árbitros Fifa desde 2015. Houve 28 faltas (15 da Espanha) e seis cartões amarelos (4 da Escócia).

COM A VITÓRIA, a Escócia terminou as duas primeiras rodadas da fase de grupos das eliminatórias para a Eurocopa de 2024 como uma das cinco, das 32 seleções, com 100% de aproveitamento (dois jogos, duas vitórias) e sem gol sofrido: Portugal (10 a 0); Suíça (8 a 0), Escócia e França (5 a 0), e Sérvia (4 a 0).

                                     A VIRADA DA MAIOR ZEBRA

DEPOIS DE FAZER 2 x 0, gols de Rasmus Hojlund, de 20 anos, da Atalanta de Bergamo, 6ª colocada no Italiano, a Dinamarca, favorita ao 1º lugar do Grupo H, sofreu a virada do Cazaquistão no 2º tempo, levando ao delírio os 30 mil torcedores. O meia Zaynutdinov, único que joga fora, no CSKA Moscou, iniciou a reação de 3 x 2.

CAZAQUISTÃO, na Ásia Central, é o maior país sem costa marítima do mundo, e foi uma das repúblicas da antiga União Soviética, hoje Rússia. O técnico é o ex-meia russo Magomed Adiey, de 45 anos, muito aplaudido na Arena Astana, que no idioma cazaque significa capital. A bandeira é azul-celeste, mas o uniforme é todo amarelo.

O MEIA MATEO KOVACIC, de 28 anos, do londrino Chelsea, marcou no primeiro tempo os gols da vitória da Croácia sobre a Turquia por 2 x 0, na noite desta 3ª (28), no estádio Bursaspor, da cidade de Bursa, a 390 km da capital Ancara. O meia Luka Modric, do Real Madrid, foi outro destaque da seleção no estádio que os turcos chamam de crocodilo verde por ter o formato do réptil.

Fotos: Divulgação