Escolha uma Página

A VITÓRIA SOBRE O BRASIL se soma a outros fatos importantes da história do técnico Rigobert Song, de 56 anos, ex-zagueiro com 137 jogos pela seleção de Camarões. Ele foi o primeiro africano em quatro Copas do Mundo (94-98-2002-2010), recorde que o atacante Eto’o, atual presidente da Federação Camaronesa, só igualou na Copa de 2014 no Brasil.

EM SUA PRIMEIRA COPA, o hoje técnico era dois meses e 21 dias mais novo que Ronaldinho, que virou Ronaldo Fenômeno, que não saiu da reserva na Copa de 94. Camarões saiu na fase de grupos, goleado pela Rússia por 6 x 1, em jogo de dois recordes históricos: o de 5 gols de Oleg Salenko, e o de Roger Milla, aos 42 anos, 1 mês e 8 dias, mais velho que Rigobert Song 24 anos, 1 mês e 12 dias.

DESPOJADO, o técnico de Camarões usou na Copa de 2022 um agasalho antigo,  aumentando sua imagem icônica, com o cabelo rastafari e o cavanhaque tingido de louro. Fez-se profissional em 94, no francês Metz, camisa que mais vestiu, em 123 jogos, e passou pela Salernitana, Liverpool, West Ham, Colônia e o francês Lens.

GANHOU O APELIDO de The Boss (O Chefe) ao ganhar a Copa da Turquia pelo Galatasaray, que defendeu em 104 jogos, antes de sair em 2008 para o Trabzonspor, onde também ganhou a Copa da Turquia. A convite de Samuel Eto’o, assumiu a seleção em outubro de 2015.

NO DOMINGO, 2 de outubro de 2016, Rigobert Song sofreu um derrame cerebral, enquanto esperava um amigo para jantar. Como havia deixado a porta aberta, o cachorro começou a latir, mas o visitante o viu caído, inconsciente, e o levou ao hospital, mas o diretor pediu que o levassem porque o hospital estava lotado .

COM A LÍNGUA de fora e a pressão a 25, sangrando pelo nariz, ainda assim o diretor do hospital não se sensibilizou. Quem o salvou foi Paul Biya, presidente da República, chefe de estado há mais tempo no poder na África e o mais velho do mundo, hoje aos 89 anos. 

RIGOBERT SONG, pai de Ronny, Bryan, Yohanna Bernardette e Hilary Liliane, do casamento bem-sucedido com Esther Song, está voltando feliz para o reencontro com a família. Camarões não foi às oitavas, mas se despediu com a honra de ser a primeira seleção da África a ganhar do único cinco vezes campeão do mundo.

Fotos: Alain Guy Suffo/Sports Inc via CFP