DOS QUATRO TÉCNICOS mais bem pagos da Copa do Mundo de 2022, só o francês Didier Deschamps, de 54 anos, continua no Catar, e com chance de ser o segundo a ganhar a Copa, pela segunda vez consecutiva, 19 Copas depois do italiano Vittorio Pozzo, em 1934 e 1938. Didier ganha R$20 milhões da Federação Francesa por ano.

BOM DIZER DESDE LOGO: Didier Deschamps continuará, pelo menos até 2024, no comando da seleção francesa, que a partir de março iniciará a preparação para a Eurocopa de junho de 2024 na Alemanha. O técnico seria mantido, se levasse a França às semifinais da Copa do Mundo de 2022.

HOUVE ESPECULAÇÃO de que Zidane, sem clube desde maio de 2021, quando saiu do Real Madrid, assumiria a seleção. No entanto, Noel Le Graet, de 80 anos, presidente da Federação Francesa de Futebol, desde 18 de junho de 2021, perguntou: “Por que motivo demitiria o técnico que ganhou a Copa e a Eurocopa”? 

DIDIER DESCHAMPS, meia-atacante de 103 jogos, entre 1989 e 2000 pela seleção, foi o segundo campeão do mundo como jogador (1998) e técnico (2018), depois de Zagallo (1958-1962 e 1970) e Beckenbauer (1974 e 1990). Ele desfruta de prestígio com os jogadores e os torcedores, desde que assumiu a seleção em 2012.

DOS TÉCNICOS DA COPA DE 2022, só Tite ganhava o mesmo salário anual de Didier Deschamps. O mais bem pago, com R$36 milhões/ano (R$3 milhões/mês) é Hans-Dieter Flick, da Alemanha, que não passou da fase de grupos. Depois dele, o inglês Gareth Southgate, com R$32 milhões/ano, eliminado nas quartas de final.

O HOLANDÊS Louis van Gaal e o argentino Gerardo Tata Martino, que dirigiu o México, tinham salário anual de R$16 milhões. Um pouco menos que eles, Fernando Santos recebia R$R$12.200 mil da Federação Portuguesa. O Catar manteve o espanhol Felix Sanchez Bas, que ganha o equivalente a R$13.300 mil por ano.

DOS QUATRO TÉCNICOS que vão tentar a vaga na final, o que menos ganha é Zlatko Dalic, da Croácia, vice-campeão do mundo em 2018, modestos R$3 milhões anuais. O francês Walid Regragui, que colocou Marrocos pela primeira vez entre os quatro melhores do mundo, ganha R$5.100 mil por ano.

O ARGENTINO Lionel Scaloni aparece entre os cinco técnicos mais bem pagos da Copa de 2022, principalmente se considerarmos a fase difícil porque passa a economia do país, tão complicada quanto às demais do continente. Scaloni ganha da Associação do Futebol Argentino o equivalente a R$15 milhões anuais.

Foto: APF e O Tempo