Neste sábado, 21 de agosto, em que completou 123 anos de fundação, o Vasco sofreu a terceira derrota consecutiva no sétimo jogo do técnico Lisca, que falou após os 2 x 0 do Operário, no estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa: “Seria muita falta de caráter minha dizer aqui, publicamente, na imprensa, que o elenco foi mal montado. Fiz muita força para chegar a um clube da grandeza do Vasco e é claro que não estou satisfeito, mas continuar me empenhando”.

TÉCNICO APOIADO – Enquanto um grupo de torcedores protestava na entrada da sede de São Januário, pedindo a saída do presidente do clube, Jorge Salgado disse que “o Vasco é viável e apesar de todos os problemas financeiros não continuará deixando de investir em reforços para melhorar a equipe”. O dirigente de 73 anos, com muita credibilidade no mercado financeiro, disse que “Lisca está mantido e é profissional capaz de recolocar o Vasco na Série A”.

PUNIÇÃO À VISTA – Repercutiu mal a declaração do meia carioca Andrey, de 23 anos, muito irritado depois da nova derrota: “Eu me sinto envergonhado com essa situação. Sou cria do Vasco desde os cinco anos de idade e tenho muita vergonha de falar para os mais de vinte milhões de vascaínos que isso aqui está uma merda, uma bosta. Não é esse o Vasco que os torcedores merecem”. No clube, nenhum comentário foi feito sobre o que disse o jogador.

MESMO PLACAR – Na abertura do campeonato, em 29 de maio, o Vasco perdeu em São Januário para o Operário por 2 x 0, placar que o time paranaense repetiu na abertura do returno, marcando os dois gols em apenas oito minutos do primeiro tempo. O meia carioca Marcelo, de 33 anos, aproveitou a falha de Marquinhos Gabriel e fez 1 x 0 aos 27, e aos 35, outro carioca, o atacante Paulo Sergio, de 32 anos, formado no Flamengo, fez o segundo gol, após falha de Ricardo.

OITAVA DERROTA – O Vasco manteve o décimo primeiro lugar com 28 pontos, apesar da oitava derrota, terceira consecutiva, porque no outro jogo da noite o Remo, que poderia ultrapassá-lo, perdeu por 2 x 1 para o CRB, que tirou o Goiás da vice-liderança, embora possa recuperar, se vencer o Sampaio Corrêa, neste domingo (22), em Goiânia. A última vitória do Vasco foi sobre o Vila Nova por 1 x 0, dia 10, em São Januário. Depois, perdeu por 2 x 1 para o Remo, em Belém, e o Londrina, de virada, em São Januário, e neste sábado (21) para o Operário, em Ponta Grossa.

EXPULSO – Nos acréscimos do segundo tempo, o atacante paulista Morato, que substituiu o meia argentino Sarrafiore, foi expulso aos 47 minutos pelo árbitro catarinense Braulio Machado, após reclamação ostensiva e um bico na bola. O jogo registrou 30 faltas (17 do Operário) e cinco cartões amarelos. O zagueiro Ricardo, o volante Romulo e o meia Bruno Gomes foram os advertidos do Vasco, que volta a jogar domingo (29) com a Ponte Preta, em São Januário (no turno, em Campinas, 1 x 1).

VANDERLEI, Leo Matos, Miranda, Ricardo e Zeca; Romulo (Andrey), Bruno Gomes (Caio Lopes) e Sarrafiore (Morato); Leo Jabá (Gabriel Pec), Cano – sete jogos sem marcar – e Marquinhos Gabriel (Matias Galarza) – o Vasco do técnico Lisca, que venceu três jogos e perdeu quatro, com oito gols marcados e nove sofridos. Décimo primeiro com 28 pontos – 8 vitórias, 8 derrotas, 4 empates -, o Vasco ficou zerado no saldo de gols (23 a 23).

BOTAFOGO – Se vencer o Vila Nova neste domingo (22), no estádio Nilton Santos, o Botafogo sobe pelo menos uma posição, chegando ao oitavo lugar com 32 pontos, dois a mais que o Guarani, derrotado ontem (21), em Salvador, pelo Vitória por 1 x 0, gol olímpico do meia baiano Soares, aos 48 minutos do primeiro tempo, na sexta derrota do Guarani. 

Foto: Joao Vitor Rezende Borba/AGIF