Neste último domingo (30) de agosto, em que completou 24 anos, Gabriel ofereceu ao Flamengo o presente do gol da segunda vitória fora de casa, no 1 x 0 sobre o Santos, na Vila Belmiro, que levou o time a subir quatro posições e terminar a sexta rodada em nono lugar, com 8 pontos – 2 vitórias, 2 empates, 2 derrotas -, mas ainda com saldo devedor de gols (4 a 6). O gol foi aos 24 do primeiro tempo, em contra-ataque rápido, desde o próprio campo, após a saída errada do lateral Felipe Jonathan.

ENTRE NOVE – Com o terceiro gol nos três últimos jogos, Gabriel está a um gol de Tiago Galhardo, do Inter, artilheiro do campeonato, e entre os nove que já marcaram três gols, entre eles os vascaínos Felipe Bastos e Cano e o tricolor Nenê, o que fazer prever boa disputa. Bom dizer: Gabriel tenta ser o artilheiro do Campeonato Brasileiro pelo terceiro ano consecutivo, depois de 18 gols em 2018 pelo Santos e de 25 gols em 2019 pelo Flamengo.

CHUTEIRAS – Gabriel usou seu par de chuteiras para fazer duas homenagens. No pé direito, a frase Wakanda Forever, que se tornou histórica, do ator Chadwick Boseman, que morreu de câncer na última sexta (28), e no pé esquerdo, Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), que, erroneamente, Gabriel escreveu lives com dois eles. Foi estranho que o árbitro o tenha advertido com cartão amarelo por cruzar os braços sobre o peito, ao homenagear Chadwick Boseman.

DESTAQUE – Diego Alves não foi só o destaque do Flamengo, com grandes defesas, mas também o nome do jogo. Em uma de suas intervenções extraordinárias, ao cair junto à trave direita, para evitar o gol em finalização forte e rápida de Raniel, Diego Alves precisou ser substituído aos 18 do segundo tempo pelo reserva Cesar, que outra vez correspondeu bem. Aos 30, Gabriel, em lance isolado, torceu o tornozelo e teve que sair, pouco depois de perder gol feito na pequena área, em bom cruzamento do estreante Isla, que deixou boa impressão ao substituir Renê, que, por sua vez, mesmo improvisado, esteve bem.

GOLS ANULADOS – Os lances dos gols anulados do Santos foram muito claros, estranhando-se apenas a excessiva demora para que o VAR confirmasse o impedimento de Raniel, após o cruzamento de Pará, e o impedimento de Jobson, na cobrança da falta de Marinho. Enquanto na Premier League, a dúvida é desfeita em segundos, no campeonato da CBF são precisos longos nove minutos para que se esclareça a dúvida de um lance. Ainda que a dúvida do segundo lance demorou menos. 

DOZE CARTÕES – Nenhum outro jogo do Campeonato Brasileiro de 2020 teve tantos cartões amarelos quanto Santos 0 x 1 Flamengo. O árbitro Wilton Pereira Sampaio, da Federação Goiana e da FIFA, advertiu sete do Flamengo: Bruno Henrique, Gabriel, Gerson, Arão, Michael, Renê e Isla, e cinco do Santos: Pará, Lucas Veríssimo, Jobson, Ivonei e Soteldo. E mais o técnico Cuca, que abusa do direito de reclamar.

FLAMENGO – Diego Alves (Cesar), Renê (Isla), Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luis; Tiago Maia, Gerson (Arão) e Arrascaeta; Michael, Bruno Henrique (Everton Ribeiro) e Gabriel (Diego). A apresentação do time pode ser considerada a melhor desde que o técnico Domènec Torrent assumiu, embora o rendimento continue distante do que se viu no ano passado. O Flamengo voltará a ser visitante no próximo jogo, quarta (2), com o Bahia, no estádio de Pituaçu, em Salvador.

SANTOS – João Paulo, Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonathan (Ivonei); Jobson (Jean Mota), Diego Pituca e Carlos Sanchez (Lucas Braga); Marinho, Raniel (Kaio Jorge) e Soteldo. Com a terceira derrota em seis jogos, o Santos caiu quatro posições e terminou a sexta rodada em décimo com 7 pontos e saldo devedor de 1 gol (6 a 7). O próximo jogo será com o Vasco, quarta (2), na Vila Belmiro.

Fotos: Maurício de Souza, Yahoo Esportes, Diário da Região, Carsughi UOL e Fla Hoje.