Escolha uma Página

Comandada pelo técnico português Carlos Queiroz, de 67 anos, que dirigiu três seleções em quatro Copas do Mundo – África do Sul em 2002, Portugal em 2010, e Irã em 2014 e 2018 -, a Colômbia fez boa estreia nas eliminatórias para 2022 no Catar, ao vencer (3 x 0) a Venezuela, única seleção sul-americana que jamais participou de uma Copa, na noite de ontem (9), no estádio Metropolitano da cidade portuária de Barranquilla, famosa por seu Carnaval e considerada a capital musical da Colômbia.

“OS ITALIANOS” – Os três gols da Colômbia foram marcados no primeiro tempo, por dois atacantes de 29 anos, que brilham na Atalanta, da cidade de Bergamo, e são tratados carinhosamente pelos torcedores como “os italianos”: Duvan Zapata fez 1 x 0 aos 16 minutos, com assistência do lateral Juan Cuadrado, da Juventus de Turim, e Luis Muriel marcou o segundo aos 26, após cruzamento de Mojica, e aos 48, com chute nem tão forte de canhota, em que o goleiro Luis Fariña, de 29 anos, falhou.

LIDERANÇA – A Federação Colombiana de Futebol contratou o técnico português Carlos Queiroz em 7 de fevereiro de 2019, dando-lhe autonomia e tempo para preparar a seleção para as eliminatórias, com o objetivo de participar da Copa do Mundo pela sétima vez, terceira consecutiva. A seleção que estreou com grande exibição e vitória na noite de ontem (9), reconhece em Carlos Queiroz um técnico preparado e com liderança de grupo convincente, pela simplicidade e pela orientação segura.

HISTORINHA – A Colômbia esteve três vezes consecutivas em Copas do Mundo – 90-94-98 e 2010-2014-2018 -, mas obteve um feito inédito, em sua primeira Copa, em 1962, ao marcar o único gol olímpico das 21 Copas. O autor foi o ponta Marco Coll, aos 23 minutos do segundo tempo, no estádio Carlos Dittborn, em Arica, cidade portuária do Norte do Chile, dia 3 de junho. A então União Soviética – hoje Rússia – vencia por 3 x 0, quando Marco Coll marcou o gol olímpico. O jogo terminou 4 x 4.

QUINTA COPA – Admirador do trabalho de alguns colegas que comandaram seleções, Carlos Queiroz quer apenas se aproximar do feito do sérvio Bora Milutinovic, hoje aos 76 anos, primeiro a dirigir cinco seleções diferentes em Copas: México, 86; Costa Rica, 90; Estados Unidos, 94; Nigéria, 98, eChina, 2002, e do cariocaParreira, hoje aos 77 anos, que também comandou cinco seleções diferentes em Copas:Kuwait, 82; Emirados Árabes, 90; Brasil, 94 e 2006; Arábia Saudita, 98, e África do Sul, 2010.

O DIFERENCIAL – Carlos Queiroz é só elogios aJames Rodriguez, meia de 29 anos, canhoto, colombiano nascido na cidade de Cúcuta, fronteira com a Venezuela: “Trabalhei com muito bons meias, mas James é o diferencial: muito técnico, criativo, lançamentos são precisos e sua ampla visão do campo impressiona”. Bom dizer: James Rodriguez começou bem a Premier League2020-2021, com 3 gols em 5 jogos no Everton, de Liverpool, depois de tricampeão no Porto (2010 a 2013, 108 jogos); bicampeão no Real Madrid (2014 a 2017, 125 jogos), e bicampeão no Bayern Munique (2017 a 2019, 67 jogos)

CASO GRAVE – Na rodada de abertura das eliminatórias, o primeiro caso grave foi registrado na noite de ontem (9), em Colômbia 3 x 0 Venezuela. O lateral-direito colombiano Santiago Arias, em lance com o ponta-esquerda Darwin Machís, logo aos 8 minutos, sofreu forte torção do tornozelo, ao prender o pé no gramado. O árbitro Guillermo Guerrero, do Equador, chegou a expulsar Machís, mas, ao rever a jogada no VAR, retirou o cartão vermelho. Arias, de 28 anos, é do Atlético de Madrid, emprestado ao Bayer Leverkusen, e ficará seis meses afastado. Machís, de 27 anos, é do Granada, da Espanha.

Foto: Norte Santander, msn